VIOLÊNCIA

Ao lado de Toffoli, Azambuja pede maior presença federal na fronteira

Governador e ministro concordaram sobre a necessidade de mais segurança
14/02/2020 13:23 - Eduardo Miranda, Izabela Jornada


O assassinato do jornalista Leo Veras, na noite da última quarta-feira, em Pedro Juan Caballero, fez com que autoridades retomassem o debate e as cobranças pelo reforço da segurança nas fronteiras. Em reinauguração de reforma de escola no Bairro Nova Lima, em Campo Grande, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (MDB), voltaram a falar sobre o tema.  

Azambuja afirmou que vai pedir um maior efetivo das forças federais na região de fronteira. “O que não pode é deixar só as polícias de Mato Grosso do Sul lá. Nossas polícias estão lá”, disse o governador.  

Dias Toffoli concordou com a necessidade de maior presença federal, e disse que o Judiciário também fará sua parte. “Sem dúvida nenhuma (sobre aumentar a presença do Judiciário), inclusive o governador falou à respeito da necessidade de dar mais efetivo das forças federais nesta vasta fronteira que Mato Grosso do Sul tem com o Paraguai e com a Bolívia. 

 
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".