INCÊNDIO

Alunos são retirados às pressas <br>de transporte escolar em chamas

Causa do acidente seria pane no motor, disse prefeito do município
20/06/2017 15:51 - MARIANE CHIANEZI


 

Motorista e três crianças que estavam em uma Kombi que faz transporte escolar da cidade de Jaraguari precisaram agir rápido e sair correndo do veículo na manhã de hoje, na região da comunidade quilombola Furnas do Dionízio. Carro começou a pegar fogo e ficou destruído com as chamas. Ocupantes saíram ilesos.

Leitor do Portal Correio do Estado enviou foto do momento em que fogo consumia o automóvel. Conforme o prefeito da cidade, Edson Rodrigues Nogueira (PSDB), veículo faz parte de uma frota nova do transporte escolar e causa do incêndio seria uma pane no motor.

“A Kombi é nova, passou por reparos esses dias. O motorista disse que quando notou que o motor estava pegando fogo, logo retirou as crianças de dentro e correu para longe”, disse o admistrador à reportagem.

Ainda de acordo com ele, condutor havia acabado de deixar estudantes em uma escolas e seguia para outra unidade educacional para deixar os outros três alunos.

“Quando ficamos sabendo do que aconteceu, primeiro buscamos saber se havia acontecido alguma coisa com as crianças, se havia algum ferido, mas ainda bem que o dano foi apenas material”, relatou o prefeito.

Extintores foram usados para tentar cessar o fogo, mas não houve sucesso. Em áudio enviado por leitor, mãe de aluno afirma que criança chegou em casa muito assustada com o ocorrido e cobrou mais responsabilidade do prefeito e vereadores do município. Causas do incêndio serão apuradas.

FALE CONOSCO - Essa matéria foi sugerida por leitor através das redes sociais, envie também sua sugestão para o nosso Whatsapp, pelo número (67) 9 9971-4437 ou pelo nosso Facebook.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".