Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

FORÇA AÉREA

Aeronave do Esquadrão Pelicano da Capital vai auxiliar buscas por avião no Chile

Avião da Força Aérea chilena desapareceu com 38 pessoas a bordo

10 DEZ 19 - 19h:01GLAUCEA VACCARI E THIAGO GOMES

A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou, nesta terça-feira (10), a aeronave SC-105 SAR, operada pelo Esquadrão Pelicano sediado na Ala 5 (Base Aérea) em Campo Grande e uma aeronave P-3AM para auxiliar nas buscas ao avião da Força Aérea Chilena, que está desaparecido. As aetronaves são utilizadas em operações de busca e salvamento, dotadas de sensores infravermelhos e equipadas com recursos de varredura eletrônica.

O avião militar decolou da cidade de Punta Arenas, no sul do Chile, por volta das 17h, rumo à Base Eduardo Frei, na Antártica, com 38 pessoas a bordo e desapareceu quando cruzava o Estreito de Drake, o trecho de mar entre o extremo sul da América Latina e a Antártica.

Para auxiliar nas operações de busca, o governo brasileiro disponibilizou duas aeronaves da FAB e um navio navio polar Almirante Maximiano da Marinha.

Conforme a FAB, a aeronave utilizada nas operações do Esquadrão Pelicano na Capital tem itens de última geração, que auxiliam na busca e resgate, como radar com abertura sintética, imageamento por infravermelho e integração de sistemas.

O radar da aeronave tem capacidade de monitorar em 360 graus e simultaneamente até 640 alvos em um raio de 370 km. Pode detectar alvos tão pequenos quanto um bote e acompanhá-los em movimento na superfície com até 139 km/h. Além disso, pode captar imagens com resolução de até um metro quadrado dentro de uma área de 2,5km x 2,5km.

O sistema eletro-óptico infravermelho, que permite operação por 24 horas, tem a versão mais recente da câmera FLIR (Forward Looking Infra-Red). Além de registrar imagens coloridas, pode aproximá-la em 18 vezes e operar em ambiente de baixa luminosidade. O modo de operação em que o sensor de infravermelho é usado conta ainda com zoom de 71 vezes e funciona detectando o contraste termal, ou seja, por diferença de temperatura.

Já a Aeronave P-3AM é operada pelo Esquadrão Orungan, sediado na Ala 12, em Santa Cruz (RJ). O avião também utiliza diversos recursos eletrônicos, como sistema radar e FLIR (Forward Looking Infra-Red), que proporciona visão noturna, sendo possível localizar o objeto por meio da temperatura emitida por ele.

Com quatro motores, a aeronave tem grande autonomia, podendo permanecer em voo durante 16 horas. Os sensores eletrônicos embarcados na aeronave são os mais modernos que existem. Tudo isso confere ao P-3AM a capacidade estratégica de vigilância marítima de longo alcance.

A Força Aerea não divulgou informações sobre o início das operações de busca no Chile. 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Polícia recaptura 11 dos 75 fugitivos de presídio dominado pelo PCC no Paraguai
FRONTEIRA

Polícia recaptura 11 dos 75 fugitivos de presídio dominado pelo PCC no Paraguai

FALHAS NO ENEM

AGU aguarda dados para recorrer de suspensão de resultados do Sisu

Técnicos se reuniram pela manhã no Ministério da Educação
A um mês de sorteio de R$ 300 mil, veja dicas para participar do programa Nota MS Premiada
CPF NA NOTA

A um mês de sorteio de R$ 300 mil, veja dicas para participar do Nota MS Premiada

BRASIL

Ministério da Saúde descarta caso de coronavírus no RJ

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião