PARQUE DAS NAÇÕES INDÍGENAS

Ações para desassorear lago serão apresentadas no dia 25

Prefeito diz que estudos foram feitos e solução pode estar próxima
16/05/2019 11:02 - EDUARDO PENEDO


 

Solução para o assoreamento do lago do Parque das Nações indígenas pode estar com os dias contados. Foram feitos estudos e as ações para deixar esse cartão postal de Campo Grande como antigamente e serão divulgado no próximo dia 25. Pelo menos é isso que afirma o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSB). “Na próxima semana acontecerá o lançamento das medidas que serão tomadas pelo Governo do Estado em parceria com a Prefeitura para desassorear o lago”, explica Trad.

O prefeito explicou que o problema no lago do Parque das Nações Indígenas não é de agora e sim de gestões passadas.” O que vocês estão assistindo não é causa e sim consequência de gestões passadas de 15, 18 anos”, argumenta.

Questionado sobre quais seriam as ações, o prefeito se esquivou e disse que teria que se aprofundar nos estudos técnicos para poder explicar o que seria feito para desassorear o lago. “ Para falar sobre isso só sendo técnico. Isso é competência do Estado, mas o município se solidariza , pois o parque é uma referência  da cidade. Nós falamos assoreamento, mas isso é só uma forma genérica, existe tanta coisa por trás. Tecnicamente eu não posso falar, mas politicamente isso eu posso e eu e o Reinaldo vamos corrigir o que os outros gestores causaram”, cutuca o prefeito.   

Desde que foi construído, o lago serve para o encontro das águas dos córregos Reveilleau, Joaquim Português e Desbarrancado. O assoreamento é resultado do sedimento e areia que descem pelo Reveilleau (em sua maior parte) e Joaquim Português. 

Caso o piscinão, com capacidade para reter 22 mil metros cúbicos de água, fosse construído, “seguraria” parte do sedimento que acaba descendo para o lago.  No entanto, segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), ao invés do piscinão, será construído um canal interligando as redes de drenagem  com a travessia em tubo armado implantada sob a Mato Grosso, que desemboca no córrego Revelleau, no Parque das Nações Indígenas. Ou seja, o lago do parque continuará recebendo toda a água, porém, com menos sedimento.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".