Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BR-163

Acidente causa explosão <br>em carreta e um motorista morre

Silvestre Leising, de 46 anos, morreu no local
10/06/2017 11:25 - NATALIA YAHN


 

Acidente entre duas carretas na BR-163, na ponte sobre o Rio Correntes em Sonora - a 356 quilômetros de Campo Grande - provocou a morte de Silvestre Leising, 46 anos.

A colisão ocorreu na divisa entre Mato Grosso do Sul e Mato Grosso ontem (9) a tarde. A concessionária Rota do Oeste - que administra o trecho -, informou que os dois veículos pegaram fogo logo após a batida e por isso a rodovia foi completamente interditada.

Leising seguia no sentido Mato Grosso do Sul, com a carreta carregada de soja. O outro condutor era Vilmar Antonio Trobeta, 39 anos, que não sofreu ferimentos graves. Ele foi socorrido e levado ao Hospital Municipal de Sonora, após conseguir pular do veículo - carregado com trigo - já em chamas.

Ele informou para a Polícia Rodoviária Federal (PRF) que a outra carreta invadiu a pista contrária e que não foi possível evitar a colisão.

Com o impacto, o tanque de combustível de uma das carretas explodiu. Trobeta contou que pulou do veículo e foi ajudado por outro motorista de um carro de passeio que passava pelo local logo após a colisão.

O desvio para os condutores que passam pelo local foi indicado como uma estrada da empresa Usina Sonora, na lateral da BR-163.

A CCR MSVias informou que duas equipes foram acionadas para orientação do tráfego, mais duas para resgate médico além de guinchos. E por conta da gravidade do acidente, a concessionária também encaminhou um caminhão-pipa.

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Rodoviária Federal permaneceram no local até liberação total da pista, mas o horário de quando o tráfico foi retomado no local ainda não foi divulgado.

Felpuda


Apesar de ainda fazer certo charme no estilo “se chamar, vou pensar” é praticamente certo que ex-candidato ao governo do Estado nas eleições passadas não participará da disputa pela Prefeitura de Campo Grande. Nos meios políticos é falado que não se trata de “novidade” e que não haverá mais cavalo encilhado passando na sua frente. Ele ainda insinua que poderá voltar em 2022, mas há quem diga que não precisará pensar, pois faltará a tal da “chamada”.