Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Ação do MPE dá 60 dias para compra de medicamentos e insumos para o HR

Promotoria afirma que já irregularidades nos serviços de cardiologia, hemodinâmica e biópsia
20/08/2019 16:14 - LUANA RODRIGUES


 

O Ministério Público Estadual (MPE), por intermédio da 32ª Promotoria de Justiça, ingressou com uma ação civil pública contra o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, por irregularidades nos serviços de cardiologia, hemodinâmica e biópsia. A promotoria alega que encontrou problemas no serviço de alta complexidade, para o qual o hospital está habilitado junto ao Ministério da Saúde, inclusive para diagnóstico do câncer, além de pacientes aguardando por mais de um mês por uma cirurgia cardíaca.

A ação estipula 60 dias para que sejam adquiridos todos os materiais, insumos, reagentes, equipamentos, órteses e próteses em falta ou insuficientes. A lista de utensílios é extensa e tem desde marca-passos, stents, entre outros.

Conforme petição assinada pela promotora Filomena Fluminhan, o MPE realizou diversas intervenções junto ao hospital para resolver o problema, inclusive por meio de reuniões de mediação com a gestão estadual de saúde, gestão estadual de administração e fazenda, além de representantes do hospital, nos dias 21 de setembro de 2018, 29 de janeiro de 2019, 18 de junho de 2019, 17 de julho de 2019 e 7 de agosto de 2019. 

No mesmo período, foram realizadas vistorias no hospital, quando foram encontradas irregularidades como a não realização de procedimentos, exames e cirurgias, em razão da falta de materiais, órteses/próteses e falta derecursos humanos.

A promotora afirma que, com o passar do tempo, a situação se agravou, resultando na suspensão de serviços de alta complexidade essenciais, devido a falta de materiais e recursos humanos. “Não houve solução dos problemas identificados. Ao contrário, agravaram-se a falta de recursos humanos, falta de materiais/órteses/insumos(cirurgia cardíaca, procedimentos de implante de marca-passo, procedimento de inserção de stent farmacológico, de stent convencional e procedimentos no setor de hemodinâmica) que alcançou estágio crítico”, alega a promotora.

Além da compra de medicamentos e insumos, a promotora pede ainda que seja realizado, no prazo de 180 dias, um concurso público para o quadro permanente da área da saúde no HRMS. As contratações devem suprir a insuficiência permanente de recursos humanos, como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e perfusionistas.

A ação foi distribuída para a 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, ao juiz David de Oliveira Gomes Filho, e fixa multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento da tutela provisória ou da sentença.

Felpuda


Nos bastidores poderosos, comentários são de que dois pretensos pré-candidatos estão deixando em polvorosa quem tinha quase certeza de que tudo estava em total “céu de brigadeiro”. Assim, enquanto ambos se movimentam aqui e acolá, o lado de lá está pensando no que fazer para evitar futuro confronto. Vale ressaltar que a dupla tem experiência que só no campo de guerra das eleições – e o desempenho não ficou a desejar.