Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

SAÚDE

Ação do MPE dá 60 dias para compra de medicamentos e insumos para o HR

Promotoria afirma que já irregularidades nos serviços de cardiologia, hemodinâmica e biópsia

20 AGO 19 - 16h:14LUANA RODRIGUES

O Ministério Público Estadual (MPE), por intermédio da 32ª Promotoria de Justiça, ingressou com uma ação civil pública contra o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, por irregularidades nos serviços de cardiologia, hemodinâmica e biópsia. A promotoria alega que encontrou problemas no serviço de alta complexidade, para o qual o hospital está habilitado junto ao Ministério da Saúde, inclusive para diagnóstico do câncer, além de pacientes aguardando por mais de um mês por uma cirurgia cardíaca.

A ação estipula 60 dias para que sejam adquiridos todos os materiais, insumos, reagentes, equipamentos, órteses e próteses em falta ou insuficientes. A lista de utensílios é extensa e tem desde marca-passos, stents, entre outros.

Conforme petição assinada pela promotora Filomena Fluminhan, o MPE realizou diversas intervenções junto ao hospital para resolver o problema, inclusive por meio de reuniões de mediação com a gestão estadual de saúde, gestão estadual de administração e fazenda, além de representantes do hospital, nos dias 21 de setembro de 2018, 29 de janeiro de 2019, 18 de junho de 2019, 17 de julho de 2019 e 7 de agosto de 2019. 

No mesmo período, foram realizadas vistorias no hospital, quando foram encontradas irregularidades como a não realização de procedimentos, exames e cirurgias, em razão da falta de materiais, órteses/próteses e falta derecursos humanos.

A promotora afirma que, com o passar do tempo, a situação se agravou, resultando na suspensão de serviços de alta complexidade essenciais, devido a falta de materiais e recursos humanos. “Não houve solução dos problemas identificados. Ao contrário, agravaram-se a falta de recursos humanos, falta de materiais/órteses/insumos(cirurgia cardíaca, procedimentos de implante de marca-passo, procedimento de inserção de stent farmacológico, de stent convencional e procedimentos no setor de hemodinâmica) que alcançou estágio crítico”, alega a promotora.

Além da compra de medicamentos e insumos, a promotora pede ainda que seja realizado, no prazo de 180 dias, um concurso público para o quadro permanente da área da saúde no HRMS. As contratações devem suprir a insuficiência permanente de recursos humanos, como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e perfusionistas.

A ação foi distribuída para a 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, ao juiz David de Oliveira Gomes Filho, e fixa multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento da tutela provisória ou da sentença.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeitura não comparece, mas Consório e sindicato fecham propostas
REAJUSTE DOS MOTORISTAS

Prefeitura não comparece, mas Consório e sindicato fecham propostas

Viajantes podem enviar cartão de Natal grátis para qualquer lugar do Brasil
CAMPO GRANDE

Viajantes podem enviar cartão de Natal grátis para qualquer lugar do Brasil

Em fazendas, trabalhadores são resgatados em condições de escravidão
INTERIOR

Em fazendas, trabalhadores são resgatados em condições de escravidão

Alimentação na Cidade do Natal custará de R$ 3 a R$ 30
CONFIRA O CARDÁPIO

Alimentação na Cidade do Natal custará de R$ 3 a R$ 30

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião