Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AQUIDAUANA

A caminho de hospital, Bombeiro faz parto de jovem dentro de ambulância

O bebê era esperado para o mês de outubro, mas nasceu ontem
12/08/2015 13:05 - Danielle Valentim


 

Esperado para o mês de outubro, um recém-nascido que ainda não ganhou um nome, antecipou a chegada e nasceu na manhã de ontem (11) dentro da ambulância do Corpo de Bombeiros, em uma estrada a 55 quilômetros de Aquidauana. Jéssica dos Santos, de apenas 18 anos, é mãe de outros dois filhos e moradora da Fazenda Costa Rica, situada na famosa Estrada Toca da Onça, no Pantanal.

De acordo com o site O Pantaneiro, a jovem estava em casa, quando começou a sentir dores. Imediatamente, a família acionou uma ambulância da Prefeitura de Aquidauana e iniciaram o transporte da jovem em uma caminhonete.

Depois de aproximadamente 40 minutos de estrada, o motorista da caminhonete encontrou com a ambulância na rodovia BR-419.  Um soldado do 1º Subgrupamento de Bombeiros de Aquidauana, identificado como Marin, era quem estava na ambulância.

Com contrações em intervalos cada vez mais curtos, a jovem deu a luz faltando 55 quilômetros para chegar no município de Aquidauana. "Eu já havia visto ocorrências de parto em Campo Grande, onde isso é mais comum, mas nunca tinha feito um. Nós temos treinamentos e instruções periódicas, para sempre estarmos preparados para essas situações", conta o soldado Marin.
 
Ele diz que uma das grandes dificuldades, nesse tipo de ocorrência, é lidar com a angústia e o medo da mãe. Foi preciso uma grande dose de carinho para poder conversar com Jéssica e explicá-la que, se o bebê quisesse nascer ali, assim seria feito. 

Jéssica agora curte os primeiros momentos ao lado do filho, que ainda não tem nome. "Como eu não estava esperando para agora, ainda não escolhi o nome", disse a jovem.

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!