Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Polêmica

Vereador sugere comer cães
para diminuir animais de rua

24 JUN 2017Por Terra15h:42

Se estivesse na China ou em alguma das Coreias, o vereador Wellington Arantes (PSB) não causaria tanta polêmica ao sugerir que a população – inclusive ele – comesse os cachorros soltos nas ruas de Ituiutaba, cidade distante cerca de 700 quilômetros de Belo Horizonte.

A afirmação de Arantes foi feita durante uma sessão na Câmara Municipal que pretendia encontrar uma solução para a crescente população de animais de rua na cidade. Em tom de deboche, “Batuta”, como é conhecido o parlamentar, disse que a alternativa era comer a carne dos animais. “Tínhamos que fazer igual no Japão: comer esses cachorros e acabar com isso”, afirmou depois de explicar que “se nós não estamos fazendo cirurgias eletivas na Secretaria de Saúde, vamos fazer em cachorro?”.

O caso revoltou a presidente da Sociedade Protetora dos Animais de Ituiutaba, Mariana Cunha Santana. Ela considerou o posicionamento do vereador como sendo de “extremo desgosto e angústia ao constatar que um representante do povo, formador de opinião, com a responsabilidade de ser um cidadão tomado como exemplo pelos munícipes, expresse um pensamento desumano, ferino e em total afronta à legislação vigente.”

A possibilidade de processo por quebra de decoro parlamentar foi minimizada pelo  presidente da Câmara, vereador Odemes Braz (PSDB) que encarou a fala do colega apenas como uma "opinião".

O que diz a Legislação

Quem for pego praticando atos de abuso, maus tratos, ferindo ou mutilando animais silvestres no Brasil pode ser detido por 3 meses a um ano. Em caso de morte do animal, como sugeriu o vereador, a pena pode ser aumentada em 1/6 a 1/3, de acordo com o artigo 32 da Lei 9.605 de 1998.

No ano passado, em São Paulo, ativistas do Grupo Abolicionista da Proteção Animal, distribuíram panfletos e orientaram funcionários de restaurantes do Bairro da Liberdade, onde estão as maiores colônias de imigrantes chineses e coreanos no Brasil.

A defesa do vereador

Em nota, a assessoria do vereador informou que o vereador Batuta nunca foi contra a castração de animais e nem contra os animais. Ele explicou em seu comentário que se a Prefeitura não está realizando cirurgias eletivas, não trará um castra móvel. Ele quis dizer que a prioridade do momento é a saúde. Ele admite que foi muito infeliz em seu comentário, que realmente foi de mau gosto. Pede desculpas a todos.O vereador Batuta gosta e respeita todos os animais em geral. Ele tem animais em sua residência e, também em sua chácara que, por sinal, são muito bem tratados”.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também