Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 21 de setembro de 2018

RECOMEÇO

UFRJ inicia cobertura do telhado do Museu Nacional

15 SET 2018Por FolhaPress12h:20

A direção do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, localizado no bairro imperial de São Cristóvão, zona norte do Rio, iniciou a cobertura de áreas do edifício, afetado por um incêndio no início deste mês.

A ação tem por finalidade proteger o acervo sob os escombros de outros danos, como água da chuva. A reitoria da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) também vai contratar uma empresa que garantirá a cobertura da área total dos escombros, ainda nos próximos dias. As informações são da Agência Brasil.

Em seguida, a universidade iniciará, com auxílio de guindastes, a instalação de um telhado metálico com cerca de 5 mil metros quadrados. Esse trabalho será acompanhado por engenheiros e especialistas de diversas áreas da UFRJ, com apoio do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e técnicos da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).

O Ministério da Educação liberou R$ 10 milhões para ação emergencial na segurança do prédio do Museu Nacional, que teve grande parte de seu acervo destruído.

De acordo com a UFRJ, a universidade recebeu uma estrutura pré-fabricada (módulo adaptado de contêiner), onde trabalharão os peritos da Polícia Federal, que investigam o que provocou o incêndio. Até o momento, não foram determinadas as causas do fogo que destruiu o prédio principal.

Na quinta-feira (13), o reitor da UFRJ, Roberto Leher, e o diretor do Museu, Alexander Kellner, reuniram-se com uma comissão da Unesco. No encontro, eles discutiram como vão agir em conjunto para reconstruir o Museu Nacional.

Ao longo desta semana, o Museu Nacional manteve aulas, defesas de teses, cursos de especialização e outras atividades, muita delas no Horto da instituição, também localizado na Quinta da Boa Vista.

CAMPANHA

A UFRJ lançou esta semana a campanha Museu Nacional Vive, com o objetivo de mostrar que a instituição está em atividade, já que as pesquisas, aulas de pós-graduação e ações de extensão serão mantidas, e que aproximadamente 2 milhões de peças do acervo continuam preservadas.

As coleções intactas ainda colocam o Museu Nacional entre as instituições mais importantes da América Latina.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também