Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GOVERNO

Trump é investigado por suspeita de obstrução da Justiça, diz jornal

O presidente nega qualquer conluio entre ele ou qualquer um de seus parentes e Rússia
15/06/2017 09:01 - FOLHAPRESS


O conselheiro especial que investiga a suposta interferência da Rússia na campanha eleitoral dos Estados Unidos de 2016 está examinando uma suspeita de tentativa de obstrução da Justiça por parte do presidente americano Donald Trump, informou nesta quarta-feira (14) o jornal "Washington Post".

Citando fontes não identificadas, o jornal americano disse que oficiais de inteligência concordaram em ser entrevistados sobre o tema por pesquisadores que estão trabalhando com o conselheiro especial, Robert Mueller.

Os nomes incluem o do diretor nacional de Inteligência, Daniel Coats, e o do chefe da Agência de Segurança Nacional, Mike Rogers. As entrevistas podem ocorrer ainda nesta semana, acrescentou o WP.

A decisão de Mueller de investigar a conduta de Trump representa um grande ponto de inflexão na investigação conduzida pelo FBI (polícia federal americana), até recentemente focada na tentativa de intromissão russa durante a campanha presidencial e nas suspeitas de coordenação entre a campanha Trump e o Kremlin.

Os pesquisadores também procuram evidências de possíveis crimes financeiros entre os partidários de Trump, disseram as fontes ouvidas pelo "Washinton Post".

De acordo com o jornal americano, um dos assuntos que interessa a Mueller ocorreu em 22 de maio, quando Coats disse a seus subordinados que Trump havia pedido a ele que interviesse para que Comey parasse de investigar o ex-assessor segurança Mike Flynn no âmbito da investigação do FBI sobre a interferência russa.

O presidente nega qualquer conluio entre ele ou qualquer um de seus parentes e Rússia.

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?