Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MUNDO

Trump diz que rompimento de relações com Catar pode ser ‘começo do fim do terrorismo'

Trump diz que rompimento de relações com Catar pode ser ‘começo do fim do terrorismo'
06/06/2017 14:44 - G1


 

O presidente americano, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (6) que o rompimento relações diplomáticas e comerciais da Arábia Saudita com o Catar pode ser ‘começo do fim do terrorismo’. Outras seis nações também cortaram seus vínculos com Doha: Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Egito, Líbia e Ilhas Maldivas.

“Talvez esse seja o começo do fim do terror do terrorismo!”, declarou o presidente americano no Twitter.

O Catar é acusado por seus críticos de manter vínculos com as redes jihadistas da Al-Qaeda e do grupo Estado Islâmico, assim como com a Irmandade Muçulmana, grupo considerado "terrorista" por alguns países árabes.

Trump, que visitou recentemente o Oriente Médio, relacionou suas recentes declarações contra o islamismo radical com a decisão de países da região de isolar o Catar.

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, pediu aos países do Golfo que permaneçam "unidos", mas o tuíte presidencial parece apoiar a decisão de isolar o Catar.

O Catar abriga a maior base aérea americana na região, sede do comando dos Estados Unidos para o Oriente Médio, onde estão presentes 10.000 soldados. A base é crucial para a luta contra o grupo Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque.

Na tentativa de contornar a crise no Golfo, o Kuwait tentará mediar o diálogo entre a Arábia Saudita e o Catar. A suspensão de voos prejudica passageiros que precisam se deslocar na região.

Felpuda


Apesar de ainda fazer certo charme no estilo “se chamar, vou pensar” é praticamente certo que ex-candidato ao governo do Estado nas eleições passadas não participará da disputa pela Prefeitura de Campo Grande. Nos meios políticos é falado que não se trata de “novidade” e que não haverá mais cavalo encilhado passando na sua frente. Ele ainda insinua que poderá voltar em 2022, mas há quem diga que não precisará pensar, pois faltará a tal da “chamada”.