Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

MUNDO

Trump chega a Las Vegas para encontrar sobreviventes de massacre

4 OUT 2017Por G114h:49

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou nesta quarta-feira (4) a Las Vegas para se encontrar com sobreviventes do maior ataque a tiros da história dos Estados Unidos. Um atirador matou 58 pessoas e deixou mais de 500 feridas durante um festival de música country no domingo (2).

Acompanhado da primeira-dama, Melania, o presidente deve visitar um hospital para conversar com vítimas e médicos que trabalharam no atendimento às vítimas. A agenda prevê ainda um encontro com os chamados pela Casa Branca de "heróis-civis", os primeiros a chegar ao local do ataque para ajudar a socorrer as vítimas.

O chefe de estado americano classificou o massacre como "ato de pura maldade" no primeiro pronunciamento que fez após um atirador atingir a multidão. Nesse primeiro discurso, Trump não fez nenhuma referência a um aumento no controle na venda de armas. Desde a campanha eleitoral de 2016, ele está alinhado com a postura da Associação Nacional de Rifles (NRA).

Stephen Paddock, de 64 anos, hospedou-se no 32º andar do Mandalay Bay, famoso resort e cassino de Las Vegas, de onde tinha uma vista privilegiada para as 22 mil pessoas que participavam do Route 91 Harvest Festival.

Fortemente armado, ele teria disparado durante cerca de 10 minutos, de acordo com Kevin McMahill, assistente do xerife do condado de Clark, citado pela CNN. Em um áudio da polícia, divulgado pela BBC, um policial diz ter localizado o quarto onde o atirador estava.

A gravação dá uma ideia da tensão no Mandala Bay Hotel. Policiais da equipe de elite da Swat, que fizeram uma varredura, possuíam explosivos. Um agente pede para que os colegas envolvidos na ação se protejam antes de detoná-los. Ao entrar no quarto, os policiais encontraram o atirador morto além de 23 armas.

Um vídeo divulgado pela polícia mostra ainda a ação dos policiais que chegaram ao festival no momento do ataque. Sob intenso tiroteio, um agente pede para as pessoas se abaixarem. Centenas de vídeos feitos pelas pessoas que estavam no local e por câmeras de monitoramento estão sendo analisadas pelos investigadores. O atirador também instalou câmeras no corredor do hotel, possivelmente para conseguir acompanhar a aproximação de policiais na hora do ataque.

Leia Também