Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPÉCIE RARA

Tigre ataca tratadora em zoológico<BR>nos Estados Unidos

Mulher sofreu cortes e perfurações na parte de trás da cabeça
20/04/2019 21:00 - G1


 

Um tigre de Sumatra atacou uma tratadora na manhã deste sábado (20) no zoológico de Topeka, no estado de Kansas, Estados Unidos. A mulher sofreu cortes e perfurações na parte de trás da cabeça, no pescoço, costas e em um dos braços, mas não corre risco de vida.

Segundo o diretor do zoo, Brendan Willey, ela estava consciente quando foi socorrida e levada a um hospital e seu estado é estável.

Willey afirmou ainda que uma investigação está em andamento para descobrir porque ela estava no local ao mesmo tempo que o tigre, já que a funcionária trabalhava há anos no zoológico e tinha experiência na manutenção do espaço. O serviço era feito diariamente apenas quando o animal não estava ali.

Segundo o diretor, Sanjiv, de sete anos de idade, apenas agiu de acordo com seus instintos ao atacar a tratadora, e em nenhum momento foi cogitado matar o tigre, de uma espécie rara. “Embora este seja um incidente muito infeliz, ele fez o que um animal selvagem faz, o que um tigre selvagem faz”, explicou Willey em uma entrevista coletiva horas depois do ataque.

A funcionária, que não teve seu nome divulgado, foi salva por colegas que estavam no recinto dos elefantes, que fica bastante próximo. Eles ouviram gritos e chegaram em minutos, conseguindo atrair o tigre para outro setor, que foi então fechado, deixando Sanjiv isolado.

O zoo estava aberto e alguns visitantes testemunharam o ataque. O recinto dos tigres tem atraído grande público nos últimos dias porque recentemente quatro filhotes, filhos de Sanjiv, foram liberados para serem expostos pela primeira vez desde que nasceram.

Após o incidente, o zoo chegou a ficar fechado por algumas horas, mas foi reaberto no período da tarde. O setor dos tigres, no entanto, permaneceu inacessível aos visitantes durante todo o sábado.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.