BAHIA

Tia do jogador Daniel Alves morre afogada em rio

Caso ocorreu nesta sexta-feira (18), em Juazeiro, norte do estado
19/08/2017 15:50 - G1


 

Tia do jogador baiano Daniel Alves, que atua no clube francês PSG, morreu afogada no rio Salitre, afluente do rio São Francisco, em Juazeiro, norte da Bahia, nesta sexta-feira (18). A informação foi confirmada pela Polícia Civil e por familiares do jogador.

Conforme familiares, a mãe de Daniel Alves é irmã da vítima e passou mal ao receber a notícia. Ela recebeu atendimento médico em um hospital de Juazeiro.

Segundo a polícia, o caso aconteceu na manhã desta sexta, após a vítima, Marlúcia Capistania, 46 anos, sair para cuidar de umas mudas de banana na fazenda Mulungu, no povoado de Salitre, onde morava. De acordo com a polícia, a família estranhou a demora dela e foi procurá-la. O corpo foi encontrado no dreno do rio, perto da fazenda, e retirado da água por familiares.

O corpo de Marlúcia foi levado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Juazeiro. A delegada Lígia Nunes, titular da 17ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/ Juazeiro), informou que, conforme o relato de familiares, Marlúcia teve um AVC há dois anos e também estava abalada com a morte de um primo, ocorrida na noite de quinta-feira (17), também no povoado de Salitre. O rapaz, que tinha 42 anos, foi morto a tiros. O crime é investigado. Ninguém foi preso.


 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".