IMIGRAÇÃO

Suspeito de celebrar morte de menino sírio em rede social pode ir para cadeia

Suspeito de celebrar morte de menino sírio em rede social pode ir para cadeia
05/09/2015 19:00 - Folhapress


A polícia alemã fez uma operação de busca na casa de um homem de 26 anos que mora em Berlim e é acusado de comemorar a morte do garoto Aylan, cujo corpo foi encontrado em uma praia nesta semana.

Os guardas apreenderam um computador e dois celulares durante a ação, realizada no sábado pela manhã.

Valeska Jakubowski, porta-voz da polícia alemã, disse que o suspeito, cujo nome não foi divulgado, está sendo investigado por "difamar a memória do morto e incitar o ódio".

Se condenado, ele pode pegar até três anos de prisão.

De acordo com a polícia, o homem escreveu "nós não estamos lamentando, mas celebrando isso", acima da imagem do corpo de Aylan Kurdi, menino sírio de três anos que foi encontrado morto por afogamento no começo da semana na costa da Turquia.

Autoridades alemãs estão combatendo extremistas de direita que usam as redes sociais para divulgar o ódio e a perseguição a imigrantes.

A imagem de Aylan caído na areia causou forte comoção no mundo nos últimos dias. O corpo do garoto foi enterrado em Kobani, na Síria, nesta sexta-feira (4), por seu pai, Abdullah Kurdi, que também perdeu a esposa e outro filho de cinco anos na tentativa de travessia.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".