Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

Campo Grande

Só um herdeiro aparece para depor em audiência da CPI dos Táxis

Elton explicou como seu falecido pai acumulou 27 alvarás em seu nome

10 JUL 2017Por Bárbara Cavalcanti12h:18

O filho do falecido dono do Rádio Táxi de Campo Grande explicou que apenas as benfeitorias dos pontos eram compradas e depois era assinado termo de cedência da concessão. No primeiro dia audiências da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal, Elton Pereira de Matos, ainda declarou que sua mãe, Francisca Pereira dos Santos, tem 15 alvarás em seu nome, embora sempre tenha trabalhado apenas em casa. Agora, a CPI irá analisar a legalidade de todos os procedimentos feitos pela família.

Em seu depoimento, Elton explicou como seu pai, o falecido Moacir Joaquim de Matos, conseguiu acumular 27 alvarás em seu nome. Conforme o filho, Moacir começou em 1975 e até 1993 não tinha limite de quantos alvarás uma única pessoa poderia ter. Elton explicou que era fechado um pacote, eram comprados o carro e as benfeitorias do ponto e então assinado um termo de cedência do motorista. Quando a lei passou a limitar a quantidade de alvarás, Moacir passou 15 para o nome da esposa.

Ainda conforme Elton, os alvarás que estão no nome de Moacir agora estão em inventário. "Os herdeiros têm direito aos alvarás e eu não sou o único, ainda têm outros que não têm nada em seu nome, então não vai acumular mais que 15. E então, cada um administra o seu", detalhou. Elton já tem seis alvarás em seu nome.

O próximo passo agora será analisar a legalidade de todos os procedimentos já feitos, assim como as intenções da família sobre o que fazer depois que o inventário estiver pronto. "Tudo vai para o jurídico. Nós vamos analisar a legalidade e também tem a questão das épocas, uma vez que a lei mudou algumas vezes. Foi muito produtivo ao meu ver e agora vamos ouvir o resto das pessoas", comentou.

Elton foi o único das quatro pessoas intimadas a comparecer à audiência na manhã de hoje na Câmara. Conforme o vereador Vinicius Siqueira (DEM), as demais justificaram ausência e serão ouvidas nos próximos dias. Estão marcadas audiências para quarta-feira, a partir das 8h e para sexta-feira, no mesmo horário. Ainda haverá audiência marcada para o dia 2 de agosto.

Faltam ser ouvidos o casal Marco Aurélio Ferreira e Maria Lourdes Dantas Ferreira, além de Nelson Kohatsu, Vanilde Roberti, Maria Helena Martins Panissa Startari e Antonio Oliveira dos Santos.

O segundo maior monopólio e que terá de prestar depoimentos em seguida é de Orocídio de Araújo. Além de Orocídio, sua esposa Maria Helena Juliace de Araújo, o cunhado Benevides Juliace Ponce e esposa do cunhado, Gleickermen Bogarim Godoy Ponce, já que acumulam 39 carros no nome da família.

Leia Também