Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

TRIBUTÁRIA E PREVIDÊNCIA

Simone diz que reformas podem ser discutidas simultaneamente

Presidente da CCJ no Senado disse que "Brasil tem pressa" pela votação

19 AGO 19 - 19h:26GLAUCEA VACCARI

A senadora Simone Tebet, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, disse hoje (19)durante audiência pública, que os debates sobre as reformas Previdenciária e Tributária já começaram e que é possível que os dois temas sejam tratadas ao mesmo tempo, devido a serem complementares.

“Uma não substitui a outra, são comuns e complementares. Uma precisa da outra. O Brasil tem pressa e o Senado tem consciência disso e pode entregar as duas (reformas) para a sociedade brasileira quase que simultaneamente”, afirmou.

Na avaliação da senadora, a reforma tributária é complexa, mas ela acredita que o Senado aprovará as duas reformas rapidamente, apesar das dificuldades de consenso em alguns temas, como sobre possíveis mudanças quanto ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

“É obvio que queremos a reforma mais ampla e irrestrita, a que possa ajudar o Brasil, mas sabemos das grandes dificuldades e das diferenças entre o Brasil que consome o e o Brasil que produz”, afirmou.

Ainda conforme Simone, sem a reforma Tributária as contas públicas ficam comprometidas e a União acaba tendo que “cobrir o rombo com o dinheiro dos tributos e contribuições”. “Sabemos que temos condições de avançar, porque não cabem mais impostos no bolso dos nossos trabalhadores”, afirmou.

Durante a semana, série de audiências públicas serão realizadas na CCJ, a maior parte sobre mudanças na Previdência.

Entre esta terça (20) e quinta-feira (22), parlamentares irão ouvir representantes do governo, especialistas e representantes de entidades e de classe sobre o tema.

Na audiência realizada hoje, além da senadora sul-mato-grossense, participaram do debate o ex-deputado Luiz Carlos Hauly, o deputado federal Luciano Bivar e o Diretor-Executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI), Felipe Salto.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Sobe para 14 número de mortos após incêndio em hospital do RJ

BRASIL

Ministério da Agricultura publica registro de 63 defensivos agrícolas

BRASIL

Maia diz que vai analisar CPI da Lava Jato: 'Precisa ter fato determinado'

BRASIL

PGR pede prazo para regulamentação de plantio da maconha medicinal

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião