MELHOR DESEMPENHO

Receita Federal registra alta de 3% na arrecadação federal de junho

O valor arrecadado chegou a R$ 104,100 bilhões, diz Receita
19/07/2017 12:58 - Istoé


A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 104,100 bilhões em junho, um aumento real (já descontada a inflação) de 3% na comparação com o mesmo mês de 2016. Em relação a maio deste ano, houve aumento de 6,8%.

O valor arrecadado foi o melhor desempenho para meses de junho desde 2015. O resultado veio dentro do intervalo de expectativas de 18 casas ouvidas pelo Broadcast Projeções, que ia de R$ 98,400 bilhões a R$ 118,792 bilhões, com mediana de R$ 102,250 bilhões.

Entre janeiro e junho deste ano, a arrecadação federal somou R$ 648,584 bilhões, o melhor desempenho para o período desde 2015. O montante representa alta real de 0,77% na comparação com igual período do ano passado.

Em junho, houve queda nas receitas administradas por outros órgãos que não o Fisco, principalmente royalties, que somaram R$ 1,778 (-6,09%). No ano, porém, essas receitas cresceram 53,34%. A arrecadação das receitas administradas, que excluem os royalties, caiu 0,20%.

Desonerações

As desonerações concedidas pelo governo federal resultaram em uma renúncia fiscal de R$ 42,212 bilhões entre janeiro e junho deste ano, valor menor do que em igual período do ano passado, quando ficou em R$ 45,498 bilhões. Apenas no mês de junho, as desonerações totalizaram R$ 7,035 bilhões, também abaixo do registrado em junho do ano passado (R$ 7,604 bilhões).

Só a desoneração da folha de pagamentos custou aos cofres federais R$ 1,207 bilhão em junho e R$ 7,242 bilhões no acumulado do ano. Em março, o governo anunciou o fim da desoneração da folha para cerca de 50 setores a partir de julho. O relatório aprovado na Comissão Mista da Medida Provisória 774 adia a medida para janeiro de 2018, mas ainda não foi aprovada pelo Congresso Nacional.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".