Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

disputa mundial

Qatar financia o terrorismo em um
'nível muito alto', diz Trump

9 JUN 2017Por FOLHAPRESS17h:03

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, endureceu nesta sexta-feira (9) as críticas ao Qatar e disse que o país "financia o terrorismo em um nível muito alto".

"Eles devem acabar com esse financiamento", disse Trump em relação ao país que teve seus laços rompidos com países do Oriente Médio após ser acusado de financiar terroristas e de apoiar o Irã.

A declaração do presidente norte-americano aconteceu após o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, pedir que os países do Golfo aliviem o bloqueio imposto ao Qatar.

Segundo Tillerson, o bloqueio prejudica o combate à facção terrorista Estado Islâmico (EI). Os EUA mantêm no Qatar a sua maior base aérea no Oriente Médio, usada nos bombardeios contra o EI na Síria e no Iraque.

De acordo com o secretário, a crise traz ainda a escassez de alimentos, a separação forçada de famílias e a retirada de crianças das escolas.

"Nós acreditamos que estas são consequências não desejadas, especialmente durante o mês sagrado do Ramadã", disse o secretário Tillerson. "A expectativa é que esses países tomem medidas imediatas para desenvolver esforços de boa fé e resolver as queixas que eles têm um com o outro ", afirmou.

CRISE NO ORIENTE MÉDIO

Na semana passada, o Qatar teve suas relações diplomáticas com países do Oriente Médio rompidas após ser acusado de financiar terroristas e de apoiar o Irã. O Qatar nega veementemente que oferece tal apoio.

A ruptura das relações da Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes Unidos, além de Egito e Iêmen com o Qatar aconteceu duas semanas após uma visita a Riad do presidente dos EUA, Donald Trump, que pediu aos árabes e muçulmanos uma mobilização contra o extremismo.

As Maldivas, um arquipélago localizado no oceano Índico, e o governo da Líbia, sediado no leste do país -que não é reconhecido internacionalmente-, também se uniram no boicote ao Qatar.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também