Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VISITANDO OBRAS

Prefeito de Tucuruí (PA) é baleado<br> e morto em atentado

Prefeito de Tucuruí (PA) é baleado<br> e morto em atentado
25/07/2017 22:00 - FOLHAPRESS


O prefeito de Tucuruí, Jones William (PMDB), foi morto na tarde desta terça-feira (25) após ser atingido por tiros em um atentado. A cidade, com 110 mil habitantes, fica no sudeste do Pará, a 480 km de Belém.

William, que tinha 42 anos, estava visitando obras de recuperação da estrada de acesso ao aeroporto, em uma área conhecida como Ocupação Cristo Vive, quando foi surpreendido por dois homens armados em uma moto.

De acordo com o delegado Sandro Rivelino, titular da Superintendência da Polícia Civil no município, foram disparados vários tiros contra o prefeito.

Ele chegou a ser levado para o Hospital Regional de Tucuruí, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Um funcionário da prefeitura, que estava ao lado do prefeito no momento do atentado, foi atingido por um dos disparos de raspão. Ele foi atendido no hospital e passa bem.

Equipes das polícias Civil e Militar estão realizando buscas para identificar os autores e as motivações do assassinato do prefeito.

As investigações serão realizadas por uma equipe de policiais civis da Divisão de Homicídios de Belém. Este é o terceiro prefeito assassinado na região sudoeste do Pará em menos de um ano.

Em maio, o prefeito da cidade de Breu Branco, Diego Kolling (PSD), foi morto enquanto andava de bicicleta com amigos numa rodovia junto ao município. A cidade fica a 38 km de Tucuruí.

Em janeiro, o prefeito da cidade de Goianésia do Pará, João Gomes da Silva (PR), foi morto a tiros enquanto participava de um velório na cidade. Um mês depois, o vereador José Ernesto da Silva Branco (PHS), da mesma cidade, também foi morto a tiros.

Felpuda


Dez vereadores da Capital mudaram de partido na tentativa de encarar a reeleição ou, dependendo do caso, disputar a vaga de vice-prefeito. Legendas foram “engordadas”, outras entraram em estado de inanição e outras ainda simplesmente sumiram do mapa. Que ninguém ouse perguntar a quem “trocou de camisa” qual a linha programática dos partidos em que agora estão filiados. Seria para eles, digamos, questão de pouca importância. Política tem dessas coisas...