Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ROSÂNGELA CAETANO SILVA

Polícia vai investigar morte de modelo que foi capa da Playboy na década de 90

Polícia vai investigar morte de modelo que foi capa da Playboy na década de 90
06/08/2015 01:00 - EXTRA


 

A Polícia Civil do Mato Grosso do Sul vai investigar a morte da ex-modelo Rosângela Caetano Silva, de 48 anos, ocorrida na noite desta segunda-feira. A ex-modelo morreu após um incêndio atingir a chácara em que vivia, no bairro Jardim Noroeste, por volta das 23h. Rosângela foi capa de quatro edições internacionais da revista Playboy na década de 90. Segundo o delegado Fabiano Nagata, da 3ª Delegacia de Campo Grande, o procedimento ainda não chegou à delegacia, mas informou que o caso começará a ser apurado nos próximos dias.

O irmão de Rosângela, o agente funerário Eryn Matson Caetano, contou que a ex-modelo lutava contra uma depressão desde que o marido morreu, há cerca de dois anos. Além disso, ele informou que ela apresentava problemas de saúde, como anemia e distúrbios na tireóide.

- Ela sempre dizia que queria se encontrar com o marido morto - contou o irmão.

Eryn, que mora em frente à casa incendiada da irmã, contou que tentou arrombar a porta para socorrê-la, mas que havia muitos objetos atrás - como cadeiras e barras de ferro - que impediam que fosse aberta. Quando os bombeiros chegaram, ainda tentaram socorrê-la, mas Rosângela não resistiu e morreu em decorrência de asfixia e lesão térmica sobre o corpo.

Segundo Eryn, Rosângela foi modelo na década de 90. Na mesma época, chegou a abrir uma empresa de materiais de construção na Àustria, onde viveu por dez anos. Desde o início da década de 2000, a ex-modelo vivia no Brasil com o marido, que era brasileiro e trabalhava como construtor.

- Ela sempre me ajudou muito. Sempre foi muito carinhosa comigo e com meus filhos - lembra, informando que o enterro de Rosângela foi realizado na última terça-feira, no Cemitério Parque Jardim das Palmeiras, em Campo Grande.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.