Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Organizações criminosas

PF fecha laboratório clandestino de anabolizantes e remédios em São Paulo

23 JUN 17 - 13h:43Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) localizou hoje (23), em São Paulo, um laboratório clandestino onde organizações criminosas fabricavam anabolizantes e medicamentos falsificados para venda em pelo menos seis estados brasileiros. A identificação foi feita durante a Operação Proteína, deflagrada nesta manhã para combater o comércio destes produtos.

Agentes da corporação estão cumprindo 30 mandados de prisão e 75 de busca e apreensão no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná, em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Espírito Santo. Segundo a PF, aproximadamente 50 pessoas estão sendo investigadas pela importação, fabricação e comercialização de anabolizantes e de medicamentos irregulares.

A investigação começou em junho do ano passado, a partir de flagrantes realizados no município de Rio Grande, no litoral sul gaúcho. Segundo a PF, foram identificadas três organizações criminosas sediadas em São Paulo, onde foi encontrado o laboratório.

"Também foi encontrada uma quantidade enorme de medicamentos importados de forma irregular. Não é possível contabilizar, até o momento, porque a quantidade foi realmente grande", afirmou o delegado Ricardo Saadi, superintendente da PF no Rio Grande do Sul. Ele disse que os produtos importados ilegalmente entravam no país através da Argentina e do Paraguai.

Ainda segundo a corporação, as organizações criminosas sediadas em São Paulo redistribuíam os anabolizantes e medicamentos para serem vendidos em outros estados. A investigação também identificou a participação de agentes públicos, todos policiais, na atividade criminosa.

Outra medida da Operação Proteína foi o bloqueio de valores e o sequestro de bens dos envolvidos. Saadi disse que a descapitalização é uma forma de combate ao crime organizado. "Diversos imóveis pertencentes à organização criminosa, diversos veículos e outros bens foram bloqueados ou sequestrados para que a gente possa tentar cortar o financiamento da organização", afirmou o delegado.

Os envolvidos responderão pelos crimes de contrabando, falsificação de medicamentos, corrupção ativa e passiva, concussão, formação de organização criminosa e tráfico de drogas.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CASO COAF

Justiça do Rio julga hoje habeas de Flávio Bolsonaro contra quebra de sigilo

TELECOMUNICAÇÃO

Acordo vai encerrar cobrança de roaming em países do Mercosul

39 QUILOS DE COCAÍNA

Defesa volta a pedir acesso à investigação sobre sargento da FAB

RASTRO DE DESTRUIÇÃO

Recuperação de cidade afetada por rompimento de barragem na BA poderá levar meses

Mais Lidas