Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

Paraná

Pais são presos suspeitos de agredir
bebê de 6 meses

Menino de seis meses está internado em estado grave.

27 JUN 2017Por G111h:38

A mãe do bebê internado sob suspeita de agressão foi presa na noite de segunda-feira (26) em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná. O pai da criança também foi preso. Ambos devem ficar em celas isoladas por questão de segurança. O filho dele, de seis meses, está internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais.

A mãe foi algemada pela polícia enquanto estava no hospital, por volta das 19h de segunda. Ela foi levada inicialmente para a sede do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria).

Depois, a mulher foi encaminhada para a carceragem provisória da 13ª Subdivisão Policial. Na manhã desta terça-feira (27), ela foi transferida para Cadeia Pública Hildebrando de Souza. A prisão é preventiva e sem prazo para ser revogada.

A delegada do Nucria, Ana Paula Cunha Carvalho, foi a responsável por pedir a prisão. A mãe tem 21 anos e é funcionária de um supermercado.

A delegada argumenta que ainda não tem certeza absoluta da participação da mãe no crime de tortura, mas afirma que a jovem confessou a prática de maus tratos e o abandono de incapaz.

Segundo Ana Paula, a mãe também deve ser responsabilizada por omissão - porque via o bebê sofrer e não tinha atitude contra o marido, que seria o suspeito de torturar a criança.

"Ela deixava o bebê descuidado. Ele chegava a ficar trancado no carro por volta de 40 minutos. Ela ainda contou que deixou o bebê cair do colo duas ou três vezes. Ela sabia das agressões que o marido cometia", afirma Ana Paula.

A juíza Alessandra Pimentel Munhoz do Amaral foi quem decretou a prisão preventiva. O mandado de prisão foi cumprido no início da noite.

"O indiciamento por esses crimes ocorre só ao final das investigações. Eu vou continuar colhendo provas para entregar o inquérito ao Ministério Público", reforça a delegada.

Ana Paula informou também que deve ouvir novamente o pai da criança nesta semana. O homem de 25 anos foi preso em flagrante na quinta-feira (22) e teve a prisão preventiva decretada por suspeita de prática de tortura contra o bebê.

O depoimento deve ocorrer na Cadeia Pública Hildebrando de Souza, onde ele está preso. "Quero confrontar com a versão apresentada pela mãe com a dele", disse a delegada.

Segundo a chefe do Nucria, os pais da criança compareceram a todos os depoimentos sem advogado.

Quadro grave

O Hospital Universitário deve emitir, ainda nesta manhã, uma nota sobre a situação do bebê. A direção do hospital informou que o menino continua entubado e permanece inconsciente, mas a sedação foi retirada.

Na segunda-feira, ele passou por uma bateria de exames e deve passar por nova avaliação com um neurologista.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também