COREIA DO SUL

Naufrágio de barco pesqueiro mata 10; 8 estão desaparecidos

Naufrágio de barco pesqueiro mata 10; 8 estão desaparecidos
06/09/2015 12:00 - Folhapress


Ao menos dez pessoas morreram e outras oito estão desaparecidas após o naufrágio de um barco pesqueiro no litoral sul da Coreia do Sul, informou neste domingo a Guarda Costeira.

A embarcação foi encontrada naufragada por volta das 6h25 (18h25 deste sábado em Brasília), após horas sem contato por rádio, perto da ilha de Chuja, ao norte da ilha de Jeju, no sul do país, segundo a agência de notícias local Yonhap.

A Guarda Costeira afirmou que 21 pessoas viajavam no navio, parte delas de um clube de pesca local.

Três pessoas foram resgatadas e levadas de helicóptero para um hospital de Jeju. Elas não correm risco de morte, segundo a Guarda Costeira.

Um dos sobreviventes disse à agência sul-coreana que o barco tombou "em um instante" devido à força das ondas.

Outro afirmou à Yonhap que seis pessoas, incluindo o capitão, se seguraram no casco do barco tombado, sem colete salva-vidas, enquanto aguardavam por ajuda, que chegou após mais de dez horas. "Um a um, aqueles que perdiam as forças iam escorregando", disse.

A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, ordenou ao Ministério de Segurança e Administração Pública que "faça todo o possível para encontrar e resgatar os desaparecidos" e que forneça informação sobre o acidente e as operações de resgate às famílias.

O Ministério de Oceanos e Pesca de Seul instalou um centro de controle na cidade de Sejong, onde tem sua sede o Ministério da Saúde, para supervisionar os trabalhos de resgate, dos quais participam dúzias de navios e mergulhadores, segundo a Yonhap.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".