Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

CONSUMIDOR

Multas a empresas aéreas podem chegar a
R$ 9,5 milhões por informaçao enganosa

20 OUT 2017Por G114h:02

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), ligado ao Ministério da Justiça, determinou a abertura de processo administrativo contra a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) e as empresas Avianca, Azul, GOL e Latam por causa de uma divulgação feita em setembro e que apontou queda no valor das passagens após o início da cobrança pelo despacho de bagagem.

O processo aberto acusa as companhias aéreas e a Abear de fazerem propaganda enganosa, repassar informações falsas ao consumidor, omitir informações relevantes e usar da fraqueza ou ignorância do consumidor (veja mais abaixo neste texto). Se condenados, eles podem ser multados em até R$ 9,5 milhões.

A Abear informou, por nota, que soube da instauração do processo, mas que ainda não foi notificada. A associação reafirmou os números divulgados e disse que "demonstrará sua correção".
“A ABEAR está à disposição das autoridades e reitera que o objetivo das companhias aéreas é sempre tornar a aviação comercial brasileira mais acessível, por meio de tarifas mais justas para o consumidor", diz a nota.

O despacho informando sobre a abertura do processo administrativo foi publicado na edição desta sexta-feira (20) no Diário Oficial da União. As empresas serão intimadas para apresentarem defesa.

Na quinta (19), o DPDC chegou a convocar uma entrevista coletiva para tratar do assunto, que foi cancelada após um pedido do Ministério dos Transportes.

O caso teve início em setembro, quando a Abear divulgou levantamento que apontava queda média entre 7% e 30% no preço das passagens vendidas por empresas aéreas que já implementaram a nova regra de cobrança pelo despacho de bagagens.

Entretanto, dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) indicam que o valor das passagens aumentou 35,9% apenas entre junho e setembro. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) apontou alta de 16,9%.

Diante do contraste dos números, no final de setembro o DPDC, que é um órgão da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça, anunciou uma "averiguação preliminar" para apurar as informações da Abear de que os preços das passagens haviam caído.

 

Leia Também