Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

INTERNACIONAL

Morre o pai do bebê que morreu em incêndio de radicais judeus

Dois radicais lançaram um coquetel molotov que incendiou a casa da família e matou o bebê

9 AGO 15 - 04h:00FOLHAPRESS

Said Dawawsha, pai do bebê palestino morto na semana passada após um incêndio em sua casa provocado por colonos extremistas judeus, sucumbiu neste sábado a seus ferimentos, informou a imprensa local.

Dawabsha, de 32 anos, tinha queimaduras de segundo grau em 80% de seu corpo e estava sendo atendido no Centro Médico Soroka, na cidade israelense de Bersheva.

Sua mulher, Rihan, de 27 anos, tem queimaduras de terceiro grau em 90% de seu corpo e respira com a ajuda de aparelhos, enquanto seu filho Ahmed, de quatro anos, sofreu queimaduras de segundo grau em 60% do corpo. Ambos estão no hospital Tel Hashomer de Tel Aviv e ainda correm risco de morte.

No ataque, ocorrido na madrugada do último dia 31 de julho e classificado pelas autoridades israelenses como "terrorismo judeu", dois colonos radicais lançaram um coquetel molotov que incendiou a casa da família imediatamente e matou o bebê Ali, de 18 meses.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Bolsonaro preside hoje reunião de ministros no Palácio da Alvorada

INSCRIÇÕES FINALIZADAS

Enem: candidatos sem isenção têm até quinta-feira para pagar inscrição

PRESIDENTE DO STF

Toffoli diz que juízes devem zelar para que "pactos sejam cumpridos"

DIZ BOLSONARO

Reforma tributária será apresentada após aprovação da nova Previdência

Mais Lidas