Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PRÓ-DEMOCRACIA

Milhares de manifestantes voltam às ruas de Hong Kong

Área de Kowloon foi palco das piores cenas de violência

20 OUT 19 - 14h:31AGÊNCIA BRASIL

A polícia recorreu hoje (20) a gás lacrimogêneo para dispersar a multidão em Hong Kong. Milhares de manifestantes voltaram às ruas em protestos pró-democracia e pedindo eleições livres no território. A área de Kowloon foi palco das piores cenas de violência nas últimas semanas.

Houve um reforço de segurança ao longo da marcha, com estações de metrô fechadas e a polícia lançando canhões de água na rua.

Os manifestantes estão revoltados com a líder de Hong Kong, Carrie Lam.

Hong Kong enfrenta grandes protestos desde junho, devido a uma legislação que permitiria que suspeitos fossem enviados à China continental para serem julgados.

O governo de Hong Kong anunciou o arquivamento formal do projeto de lei de extradição no início de setembro, mas os protestos continuam.

A transferência de Hong Kong para a China, em 1997, decorreu sob o princípio "um país, dois sistemas". Como acontece com Macau, para aquela região administrativa especial da China, foi estabelecido um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, em nível Executivo, Legislativo e Judiciário, com o governo central chinês sendo responsável pelas relações externas e a defesa.

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Brasil e China firmam acordos em áreas como política, comércio e saúde
ENCONTRO DOS BRICS

Brasil e China firmam acordos em áreas como política, comércio e saúde

Mega-Sena sorteia hoje prêmio acumulado de R$ 6,5 milhões
LOTERIA

Mega-Sena sorteia hoje prêmio acumulado de R$ 6,5 milhões

BRASÍLIA

Nas redes sociais, Bolsonaro critica invasão à embaixada da Venezuela no Brasil

BRASIL

Emenda Constitucional da reforma da Previdência é publicada

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião