Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

INVESTIGAÇÃO

Menina de 12 anos é dopada
e estuprada dentro de hotel

5 JUN 17 - 22h:00G1

Uma menina de 12 anos foi dopada e estuprada dentro de um hotel em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, na sexta-feira (2). Segundo a Polícia Civil, a criança mora com um avô em Poconé, a 104 km de Cuiabá, e mantinha contato com o suspeito há alguns meses, por meio de ligações e mensagens trocadas via celular. Conforme a polícia, o suspeito tem mais de 30 anos de idade e já foi identificado, mas ainda não foi localizado.

De acordo com a investigadora Walkiria Filipaldi Corrêa, a menina se encontrou o suspeito na sexta-feira, em Cuiabá. Ele a levou em um shopping da capital e, posteriormente, deu entrada com a criança em um hotel em Várzea Grande. A criança relatou à polícia que, no quarto de hotel, tomou um suco preparado pelo suspeito e, em seguida, passou a sentir muita tontura.

"Depois do suco, ela ficou desacordada e disse que não se recorda de nada que aconteceu. Ela não se recorda do abuso sexual, que ocorreu enquanto ela estava desacordada. Quando acordou, por volta das 21h, passou a vomitar muito, não conseguia ficar em pé e o suspeito, então, a colocou em um táxi e a levou de volta para Poconé", afirmou a policial.

A criança foi deixada na calçada, em frente à casa do avô, aparentando estar drogada, segundo a polícia. Ela foi encontrada pela irmã que, ao ver o estado da criança, acionou a Polícia MIlitar e a vítima foi encaminhada para o pronto-atendimento do município, onde os abusos foram constatados por um médico.

"O médico a examinou e emitiu um laudo confirmando que ela foi drogada e estuprada, que o ato sexual foi consumado", disse a investigadora.

O Conselho Tutelar e a Polícia Civil foram acionados e a criança foi levada ao Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá para passar por exame de corpo de delito. Agora, a menina está internada no Hospital Júlio Müller, em Cuiabá, onde está sendo acompanhada pela mãe.

"A família é muito humilde, a mãe fica em uma fazenda no Pantanal, ela mora com o avô. No celular dela, vimos várias conversas que ela havia mantido com o suspeito. Ele prometia muita coisa, falava que ia levar ela para a capital, dar presente, levá-la aos shoppings", afirmou.

A investigadora conversou com a criança informalmente no sábado (3), no hospital. A menina, ainda sentindo tonturas, relatou que o suspeito disse à ela que era do Paraná, mas que trabalhava prestando serviço aos três shoppings de Cuiabá. Ela disse que não se lembra de nada do que aconteceu após ter tomado o suco.

No boletim de ocorrência, a irmã da vítima afirmou que possivelmente a menina se relaciona com o suspeito há mais de um ano, com o consentimento da mãe. Segundo a polícia, a mãe da menina ainda deve prestar depoimento, mas os esforços estão concentrados na localização do suspeito.

"Estamos procurando pelo suspeito desde ontem. O taxista que o levou para de Poconé para Cuiabá disse que o deixou nas proximidades da rodoviária de Cuiabá. Descobrimos que ele se hospedou em um hotel e chegamos no estabelecimento por volta das 10h, mas descobrimos que ele havia saído às 7h", disse a investigadora.

A polícia fez buscas pelo nome do suspeito nos guichês da rodoviária e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi informada do caso, mas o suspeito ainda não foi encontrado. A suspeita é de que ela tenha seguido para o interior do estado.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PROCURADOR DA REPÚBLICA

Deltan Dallagnol abre mão de promoção para ficar na Lava Jato

Três pessoas morrem em queda de avião em Belo Horizonte
ACIDENTE AÉREO

Três pessoas morrem em queda de avião em Belo Horizonte

Mundial abre venda de ingressos em estádios a cinco dias de início
SUB-17

Mundial abre venda de ingressos a cinco dias de início

AIRBNB

STJ vai decidir se condomínios podem proibir aluguéis por aplicativos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião