Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Desdobramento

Justiça proíbe advogado que ameaçou Dilma de ir à desfile de 7 de Setembro

7 SET 15 - 05h:00folhapress

A Justiça Federal do Distrito Federal proibiu o advogado Matheus Sathler Garcia, que ameaçou matar a presidente Dilma Rousseff, de comparecer ao desfile do 7 de Setembro, que ocorrerá nesta segunda-feira em Brasília.

Candidato a deputado federal pelo PSDB nas últimas eleições, Garcia publicou vídeos nas redes sociais em que prometia "arrancar a cabeça" de Dilma, caso ela não renunciasse ou se suicidasse até este domingo.

O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) já havia determinado que a Polícia Federal abrisse um inquérito para investigar as ameaças publicadas na internet.

Em decisão proferida nesta sexta (4), o juiz Macus Vinicius Bastos determinou que Garcia permaneça a uma distância mínima de 1 quilômetro da Praça dos Três Poderes e da Esplanada dos Ministérios, onde haverá as festividades.

O advogado tucano também está proibido de sair da capital e será monitorado pela Polícia Federal, provavelmente, por meio de uma tornozeleira eletrônica que identifica sua localização.
A família de Garcia argumentou à Polícia Federal que ele sofre de problemas psicológicos. O magistrado argumentou, porém, que o fato de exercer uma profissão, ser casado e bem articulado comprova que o advogado é capaz de cumprir a determinação judicial.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

TEMPO INDETERMINADO

Funcionários da Avianca anunciam nova greve para esta sexta

POLÊMICA

'Adoção na Passarela' remete às feiras de escravos, dizem juízes

HABEAS CORPUS

STM solta nove envolvidos em caso de músico morto no Rio de Janeiro

OTIMISTA

Guedes diz que reforma da Previdência deve ser aprovada em até 90 dias

Mais Lidas