Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Novas condenações

Sergio Moro condena o ex-ministro Antonio Palocci a 12 anos e 2 meses de reclusão

Palocci foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro

26 JUN 17 - 09h:06G1

O juiz federal Sérgio Moro – responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância – condenou o ex-ministro Antonio Palocci as 12 anos e 2 meses de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A sentença é desta segunda-feira (26).  O ex-ministro foi preso na 35ª fase da operação, batizada de Omertà e deflagrada no dia 26 de setembro de 2016. Atualmente, está detido no Paraná. 

Além de Palocci, o ex-assessor dele, Branislav Kontic, o empresário Marcelo Odebrecht e outros 11 eram réus nesta ação penal. Eles respondiam por crimes como corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

O processo

O processo apurava se Palocci recebeu propina para atuar em favor do Grupo Odebrecht, entre 2006 e 2013, interferindo em decisões tomadas pelo governo federal. 

Palocci é acusado de intermediar propinas pagas pela Odebrecht ao Partido dos Trabalhadores (PT). Ex-executivos da empreiteira afirmaram que o codinome "Italiano", que aparece em uma planilha ao lado de valores, fazia referência a Palocci. Ele nega ser o "Italiano". 

Veja a lista completa dos réus e dos crimes: 
⦁    Antonio Palocci - corrupção passiva e lavagem de dinheiro; 
⦁    Branislav Kontic - corrupção passiva e lavagem de dinheiro; 
⦁    Marcelo Odebrecht - corrupção ativa e lavagem de dinheiro; 
⦁    Fernando Migliaccio da Silva - lavagem de dinheiro; 
⦁    Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho - lavagem de dinheiro; 
⦁    Luiz Eduardo da Rocha - lavagem de dinheiro; 
⦁    Olivio Rodrigues Junior - lavagem de dinheiro; 
⦁    Marcelo Rodrigues - lavagem de dinheiro; 
⦁    Mônica Moura - lavagem de dinheiro e corrupção passiva; 
⦁    João Santana - lavagem de dinheiro e corrupção passiva; 
⦁    João Vaccari Neto - corrupção passiva; 
⦁    João Ferraz - corrupção passiva; 
⦁    Eduardo Musa - corrupção passiva; 
⦁    Renato Duque - corrupção passiva.

Alegações finais

Nas alegações finais, a defesa de Palocci apontou inconsistências nas delações de ex-executivos da Odebrecht e pediu a absolvição do ex-ministro. 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

MAL-ESTAR

Ex-presidente egípcio morre durante audiência em tribunal

BRASIL

Relatório do Vaticano para encontro de bispos cogita padres casados na Amazônia

BRASIL

PF destrói 1,2 mil tonelada de maconha na fronteira com o Paraguai

BRASIL

Assassinato de ator e seus pais completa uma semana; filha presta homenagem

Mais Lidas