ATIVOS CONGELADOS

Investigados em inquérito da Lava Jato têm ativos bloqueados no Peru

Segundo autoridades locais, o bloqueio chega a 7,7 milhões de dólares
07/07/2017 08:59 - Terra


Pessoas investigadas em inquérito sobre a empreiteira brasileira Odebrecht, no Peru,  entre eles o ex-presidente Alejandro Toledo, tiveram seus ativos congelados, conforme informações de autoridades locais. O valor chega a 7,7 milhões de dólares.

A empresa fez um acordo com procuradores dos Estados Unidos e do Brasil e admitiu ter pago propinas em 12 países para obter contratos. As acusações de tráfico de influência de Toledo, que governou entre 2001 e 2006, são parte da investigação peruana.

Oito outras pessoas foram incluídas no congelamento de ativos, que foi adotado para garantir o pagamento de multas futuras daqueles que forem condenados por acusações relacionadas à Odebrecht, informou um comunicado emitido pela Procuradoria-Geral do Peru.

Os ativos embargados incluem quatro carros de Toledo, que está morando nos EUA. Não foi possível contactar os porta-vozes da Odebrecht e de Toledo para obter comentários.

A empreiteira está impedida de participar de novas licitações para obras de infraestrutura no Peru e tenta negociar acordos de leniência na Colômbia, no Equador, México, Panamá, República Dominicana e Venezuela.

Nesta semana a Argentina proibiu a Odebrecht de concorrer em licitações de obras públicas por 12 meses.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".