Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 18 de outubro de 2018

há feridos

Incêndio em centro cultural
mata oito pessoas em Portugal

14 JAN 2018Por FOLHAPRESS13h:36

Pelo menos oito pessoas morreram e nove ficaram gravemente feridas em um incêndio em um centro cultural, na noite de sábado (13), na Vila Nova da Rainha, no norte de Portugal, de acordo com um balanço divulgado pelas autoridades neste domingo (14).

"O incêndio deixou oito mortos" e 38 feridos, "dos quais nove sofreram graves queimaduras", informou o chefe das operações da Defesa Civil, Carlos Pereira. Os feridos foram transferidos por helicóptero para hospitais de Porto e Lisboa.

O incêndio foi detectado pouco antes das 21h (19h de Brasília), quando cerca de 70 pessoas jantavam no primeiro andar do centro cultural de Vila Nova da Rainha, localizado na comuna de Tondela.

Os membros deste clube haviam se encontrado durante o dia para participar de um torneio de cartas e depois ficaram para assistir pela televisão a partida da liga portuguesa de futebol entre Benfica Lisboa e Sporting Braga.

"Tudo indica que o incêndio foi provocado pela explosão de um fogão, e rapidamente se espalhou para o telo do edifício, liberando uma grande quantidade de monóxido de carbono", explicou o prefeito de Tondela, José Antonio Jesus.

No térreo, Julio Dias também assistia ao jogo de futebol quando viu as chamas no primeiro andar. "Em pânico, muitas pessoas se aglomeraram nas portas e foi impossível abri-las", relatou ao jornal "Público".

Ele acrescentou que outra porta teve que ser forçada de fora alguns minutos depois, com o auxílio de um carro e cordas. "Tudo aconteceu tão rápido, em cinco minutos, todo o prédio estava em chamas", explicou.

O incêndio foi controlado após uma hora, segundo os bombeiros de Tondela. O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, deve visitar o local da tragédia ainda neste domingo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também