Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

REPERCUSSÃO

Hotel em SP disse que não barrou entrada de cientista negro

Carl Hart teria sido barrado e motivo seria racismo

29 AGO 15 - 16h:18FOLHPARESS

O hotel Tivoli Mofarrej, nos Jardins (zona oeste de São Paulo), negou na manhã deste sábado (29) que tenha barrado o o neurocientista Carl Hart.

Imagens do circuito interno apresentadas à reportagem indicam que, até entrar em seu quarto, Hart não foi abordado por funcionários do estabelecimento e que ele andou livremente pelo saguão do hotel.

As gravações mostram o palestrante chegando ao hotel acompanhado de um homem, na manhã de quinta (27). Durante a entrada e a passagem deles pelo saguão e pela área do evento, a circulação dos dois ocorre sem impedimentos.

Hart, que está vestido com camiseta, vai ao banheiro que fica no mesmo ambiente em que já ocorria o evento para o qual havia sido convidado. Até este momento, ele é acompanhado de perto por um homem que estava de terno e havia chegado com o cientista ao hotel. A administração do hotel nega que o homem fosse funcionário do local. O homem aguarda a saída de Hart do banheiro.

Depois de alguns minutos, Hart cumprimenta o homem que o havia acompanhado e os dois voltam ao saguão do hotel buscar as malas do cientista. Neste momento, os dois são abordados por um organizador do evento.

Não é possível ouvir o que é conversado, mas, em seguida, Hart se dirige à recepção do hotel ainda com a ajuda do homem que o acompanhava, onde faz o check-in. Logo depois, ele segue sozinho quarto e o homem que o acompanhava vai embora.

"Nós tivemos que analisar as imagens para entender o que havia acontecido", disse Renaud Pfeifer, gerente geral do Hotel Tivoli. "Mas, segundo as imagens, em momento algum o Hart foi abordado por seguranças ou impedido de entrar no hotel".

O hotel disse ter entrado em contato com o hóspede que teria dito que não se sentiu constrangido.

CONFIRMAÇÃO

Na noite de sexta-feira (28), a reportagem entrou em contato com Hart para confirmar informações que circulavam sobre o suposto constrangimento ao neurocientista.

Quando questionado sobre se ele havia sido impedido de entrar no hotel, o pesquisador respondeu por e-mail: "É verdade, mas foi [algo] menor". Hart, porém, não deu detalhes do que ocorreu na ocasião.

Após ter acesso às imagens do circuito interno do hotel, a reportagem voltou a entrar em contato com o cientista, mas ainda não obteve resposta.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Demanda por atendimento em saúde mental em Brumadinho cresce 400%
UM ANO DEPOIS

Demanda por atendimento em saúde mental em Brumadinho cresce 400%

Redução do preço da energia solar tem sido vertiginosa, diz EPE
BRASIL

Redução do preço da energia solar tem sido vertiginosa, diz EPE

À frente de ministério, Moro deu mais ênfase à segurança
BRASIL

À frente de ministério, Moro deu mais ênfase à segurança

Polícia investiga 29 casos de síndrome nefroneural em Minas Gerais
CERVEJA CONTAMINADA

Polícia investiga 29 casos de síndrome nefroneural em Minas Gerais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião