Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

REPERCUSSÃO

Hotel em SP disse que não barrou entrada de cientista negro

Carl Hart teria sido barrado e motivo seria racismo

29 AGO 15 - 16h:18FOLHPARESS

O hotel Tivoli Mofarrej, nos Jardins (zona oeste de São Paulo), negou na manhã deste sábado (29) que tenha barrado o o neurocientista Carl Hart.

Imagens do circuito interno apresentadas à reportagem indicam que, até entrar em seu quarto, Hart não foi abordado por funcionários do estabelecimento e que ele andou livremente pelo saguão do hotel.

As gravações mostram o palestrante chegando ao hotel acompanhado de um homem, na manhã de quinta (27). Durante a entrada e a passagem deles pelo saguão e pela área do evento, a circulação dos dois ocorre sem impedimentos.

Hart, que está vestido com camiseta, vai ao banheiro que fica no mesmo ambiente em que já ocorria o evento para o qual havia sido convidado. Até este momento, ele é acompanhado de perto por um homem que estava de terno e havia chegado com o cientista ao hotel. A administração do hotel nega que o homem fosse funcionário do local. O homem aguarda a saída de Hart do banheiro.

Depois de alguns minutos, Hart cumprimenta o homem que o havia acompanhado e os dois voltam ao saguão do hotel buscar as malas do cientista. Neste momento, os dois são abordados por um organizador do evento.

Não é possível ouvir o que é conversado, mas, em seguida, Hart se dirige à recepção do hotel ainda com a ajuda do homem que o acompanhava, onde faz o check-in. Logo depois, ele segue sozinho quarto e o homem que o acompanhava vai embora.

"Nós tivemos que analisar as imagens para entender o que havia acontecido", disse Renaud Pfeifer, gerente geral do Hotel Tivoli. "Mas, segundo as imagens, em momento algum o Hart foi abordado por seguranças ou impedido de entrar no hotel".

O hotel disse ter entrado em contato com o hóspede que teria dito que não se sentiu constrangido.

CONFIRMAÇÃO

Na noite de sexta-feira (28), a reportagem entrou em contato com Hart para confirmar informações que circulavam sobre o suposto constrangimento ao neurocientista.

Quando questionado sobre se ele havia sido impedido de entrar no hotel, o pesquisador respondeu por e-mail: "É verdade, mas foi [algo] menor". Hart, porém, não deu detalhes do que ocorreu na ocasião.

Após ter acesso às imagens do circuito interno do hotel, a reportagem voltou a entrar em contato com o cientista, mas ainda não obteve resposta.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

HABEAS CORPUS

STM solta nove envolvidos em caso de músico morto no Rio de Janeiro

OTIMISTA

Guedes diz que reforma da Previdência deve ser aprovada em até 90 dias

AGENDA

Mourão inclui Embraer, carnes e sementes em agenda com a China

JULGAMENTO SUSPENSO

STF tem maioria a favor da criminalização da homofobia

Mais Lidas