Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

em manicômio

Homem que ejaculou em mulher será internado

A decisão foi proferida após audiência de custódia

3 SET 2017Por Folhapress12h:15

O juiz Rodrigo Marzola Colombini determinou neste domingo (3) a prisão preventiva (sem prazo) do ajudante geral Diego Novais, 27, detido no dia anterior por suspeito de estupro após esfregar o pênis numa mulher dentro de um ônibus na região da avenida Paulista, ficará internado em manicômio judicial.

A decisão foi proferida após audiência de custódia ocorrida no Fórum Criminal da Barra Funda (zona oeste).
O juiz considerou que houve estupro e que ele ficará preso enquanto o processo criminal seguir.

Logo após a prisão, o delegado Rogério Nader pediu à Justiça um pedido de avaliação para atestar insanidade mental do acusado, que já cometeu ao menos 18 crimes semelhantes de 2010 para cá. Segundo o juiz Colombini, essa decisão caberá ao juiz que herdar o processo que ainda será aberto.

Nader indiciou (abriu investigação formal) Novais por estupro consumado. Para ele, houve constrangimento e violência porque vítima e testemunha disseram que ele agarrou com força a perna da moça atacada.

Na quarta-feira passada (30), um dia após Novais ejacular no pescoço de outra mulher também numa ônibus na avenida, ele foi solto por ordem judicial.

O juiz José Eugênio do Amaral Souza Neto entendeu que se tratava de crime de estupro pelo fato de não ter havido violência e constrangimento. Com isso, ele classificou o crime como importunação ofensiva ao pudor, que é uma contravenção penal, cuja punição é multa. Em caso de condenação, o estupro pode resultar em até 10 anos de prisão.

Novais deve ser levado ao CDP de Pinheiros (zona oeste), segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também