Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ESTADO E MUNICÍPIOS

Guedes propõe distribuir 70%
dos recursos do pré-sal

A estimativa do governo é que o pré-sal possa gerar de US$ 500 bilhões a US$ 1 trilhão nos próximos 15 anos

15 MAR 19 - 20h:00FOLHAPRESS

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nesta sexta-feira (15) que as riquezas advindas da exploração de petróleo na camada pré-sal possam ser usadas para aumentar os repasses da União para estados e municípios. 

Segundo Guedes, a proposta do governo é que estados e municípios fiquem com até 70% dos recursos provenientes do pré-sal, como participações especiais, royalties e bônus de assinatura. 

A estimativa do governo é que o pré-sal possa gerar de US$ 500 bilhões a US$ 1 trilhão em recursos desse tipo nos próximos 15 anos. Guedes participou na tarde desta sexta-feira de seminário sobre economia na sede da FGV (Fundação Getúlio Vargas), no Rio.

De acordo com o ministro, de todas as receitas obtidas pela União com impostos e tributos, cerca de 65% ficam com o governo federal e 35% são direcionadas para estados e municípios.

A distribuição de mais recursos do pré-sal para estados e municípios tem como objetivo, segundo Guedes, reequilibrar o pacto federativo e descentralizar a gestão das receitas do país. 

A ideia seria usar o pré-sal para fazer uma transição menos dolorosa em direção à mudança da relação dos repasses. 

A proposta é um afago a governadores de estados em grave crise fiscal no país. Segundo Guedes, é também uma espécie de "balão de oxigênio" para unidades da federação nessa primeira etapa da reforma do pacto federativo. 

O objetivo do governo é aprovar a reforma da Previdência ainda no primeiro semestre. O novo pacto federativo viria em seguida, em dois estágios. A destinação da maior fatia dos recursos do pré-sal aos estados e municípios seria a primeira etapa dessa mudança.

"A ideia é devolver a capacidade de gestão do orçamento aos estados e municípios e reabilitar a classe política brasileira", disse Guedes. "Ao destinar 70% do pré-sal aos estados, vamos conseguir fazer uma transição suave para um novo pacto federativo sem tirar da União". 

O ministro disse acreditar que a realização de leilão do pré-sal no final deste ano irá destravar o setor, que, após anos de estagnação em decorrência da paralisia provocada pela Lava Jato, aos poucos volta a atrair investimentos para o Brasil. 

Guedes disse que o governo estuda formas de reduzir o preço do gás natural. A ideia seria baratear a energia. Segundo economistas, energia barata é sinônimo de competitividade empresarial em um país. Guedes afirmou que pretende promover um "choque de energia barata", por meio da competição no setor e aumento dos investimentos na área.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

INCENTIV AUTO

GM anuncia investimento de
R$ 10 bilhões em fábricas de SP

O investimento integra o novo programa de incentivo fiscal do governo paulista
REDUÇÃO

Decreto de Bolsonaro corta 13,7 mil cargos em universidades públicas

As vagas cortadas são uma espécie de adicional pago a servidores públicos que ganham uma função extra
PAUTA EM ANÁLISE

Ações antiterroristas poderão ser discutidas na cúpula do G-20

Próxima reunião acontece na cidade de Osaka, no oeste do Japão
COMÉRCIO INTERNACIONAL

Estados Unidos querem concessão
na OMC para apoiar Brasil na OCDE

Proposta faz parte de uma reforma maior da organização

Mais Lidas