PORTARIA

Governo poderá solicitar a devolução de recursos de obras em atraso do Minha Casa, Minha Vida

De acordo com o texto, o prazo para conclusão dessas obras é 12 de maio de 2018
24/07/2017 20:30 - G1


Uma Portaria do Ministério das Cidades publicada nesta segunda-feira (24) prevê que o governo poderá exigir a devolução de recursos destinados a uma parte das obras do programa Minha Casa, Minha Vida, caso elas não sejam concluídas dentro do prazo.

A portaria atinge a modalidade Oferta Pública de Recursos, que atende a cidades com até 50 mil habitantes e conta com contratos que preveem a construção de cerca de 60 mil imóveis.

De acordo com o texto, o prazo para conclusão dessas obras é 12 de maio de 2018. Nos casos em que houver atraso, os agentes financeiros ligados a esses contratos têm até 23 de agosto para pedir a prorrogação do prazo de entrega.

A prorrogação será permitida uma única vez. Caso as obras não sejam concluídas, o Ministério exigirá a devolução integral dos recursos já recebidos pelos responsáveis pela obra, com atualização pela Selic mais 2% ao ano.

O Ministério das Cidades informou que a liberação do recurso será feita de acordo com a execução da obra, no momento em que o empreendimento atingir 30%, 45%, 60%, 75%, 90% e 100%.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".