Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Reserva Nacional do Cobre e Associados

Governo decide paralisar procedimentos relativos à mineração

A decisão foi questionada por ambientalistas, artistas, setores da sociedade

1 SET 17 - 12h:11Terra

O Ministério de Minas e Energia decide paralisar procedimentos relativos a mineração e anuncia "amplo debate" sobre alternativas para proteção da região.

Decisão de extinguir reserva provocou enxurrada de críticas. Um dia após a Justiça Federal suspender os efeitos do decreto do presidente Michel Temer que extinguiu a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), o governo decidiu nesta quinta-feira (31/08) paralisar todos os procedimentos relativos a eventuais direitos minerários na área da reserva.

Segundo nota assinada pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, será iniciado um "amplo debate" sobre as alternativas para a proteção da reserva, incrustada numa região entre os estados do Pará e do Amapá.

"Essa iniciativa se dá em respeito às legítimas manifestações da sociedade e a necessidade de esclarecer e discutir as condições que levaram à decisão de extinção da Renca", diz a nota.

Ainda de acordo com o comunicado, no prazo de 120 dias, o Ministério de Minas e Energia deve apresentar ao governo e à sociedade as conclusões do debate e eventuais medidas para "promoção do desenvolvimento sustentável, com a garantia de preservação".

Repercussão faz governo retroceder

Assinado na semana passada por Temer, o decreto extinguiu a Renca. A decisão foi questionada por ambientalistas, artistas, setores da sociedade e pela mídia internacional.

A área de proteção foi criada em 1984 no governo do então presidente João Figueiredo, o último do período militar. Na ocasião, foi definida a proteção de uma área de 47 mil quilômetros quadrados.

Desde então, a pesquisa mineral e atividades econômicas na área passaram a ser de responsabilidade da Companhia Brasileira de Recursos Minerais (CPRM) ou de empresas por ela autorizadas. Apesar de trazer a palavra cobre no nome, a região também tem alto potencial para exploração de ouro, além de tântalo, minério de ferro, níquel, manganês e outros minerais nobres.

Após críticas de ambientalistas, o governo federal revogou o primeiro decreto que extinguia a Renca, apresentando um segundo decreto na segunda-feira, que detalhou as mudanças na área, mas manteve a extinção da reserva.

Segundo a organização ambientalista WWF, a mudança no decreto lembrou mais um "esforço de retórica e comunicação do governo para fugir às críticas do que medidas que irão, de fato, garantir a sustentabilidade da atividade minerária na região".

Também na segunda-feira, o Ministério Público Federal no Amapá ajuizou uma ação civil pública pedindo à Justiça Federal a concessão de tutela de urgência para suspender os efeitos do decreto. Dois dias depois, o juiz Rolando Spanholo, da 21ª Vara Federal de Brasília, determinou a suspensão dos efeitos de "todo e qualquer ato administrativo tendente a extinguir a reserva".

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

SESSÃO ENCERRADA

Barroso vota a favor da prisão após condenação em 2ª instância; placar é de 3 a 1

CCJ vota PEC paralela da Previdência em novembro, diz senadora
BRASÍLIA

CCJ vota PEC paralela da Previdência em novembro, diz senadora

Senado conclui votação da reforma da Previdência
BRASÍLIA

Senado conclui votação da reforma da Previdência

Veja o que muda na sua aposentadoria com a reforma da Previdência
TIRE SUAS DÚVIDAS

Veja o que muda na sua aposentadoria com a reforma da Previdência

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião