Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

RORAIMA

Genro da prefeita preso com fuzil é solto após pagar fiança de R$ 28 mil

30 SET 2017Por G122h:00

Preso por posse de um fuzil de caça e uma pistola sem registros, o genro da prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (PMDB) foi posto em liberdade nessa sexta-feira (29) após passar por audiência de custódia e pagar fiança de R$ 28 mil.

Frederico Guilherme Capute de Oliveira foi detido na quinta (28) pela Polícia Federal durante a operação Aneis de Giges - que investiga filhos e ex-enteadas do senador Romero Jucá (PMBD) por um suposto desvio de R$ 32 milhões em projeto financiado pelo Minha Casa, Minha Vida na capital de Roraima.

Capute não era alvo da ação, mas foi pego em posse de um fuzil de caça 762, uma pistola .45 e munições na fazenda onde também vive a prefeita de Boa Vista. Ele acabou preso em flagrante e foi levado à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, segundo a PF.

Na decisão que colocou Frederico Capute em liberdade, o juiz estadual Alexandre Magno Magalhães considerou que o genro da prefeita não tinha antecedentes criminais, tem endereço e emprego fixos. Ele é adjunto da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Trânsito (SMST).

Ainda na sentença, foi determinado que o marido da filha da prefeita terá de comparecer mensalmente ao Forum Criminal Evandro Lins e em todas as vezes em que for intimado, além de comprovar endereço em até 10 dias e comunicar ausência na comarca do juízo da execução por mais de 8 dias sem permissão.

Procurado pelo G1, o advogado de Frederico Capute, Leonardo Paradela, informou que o cliente já está em casa e que a defesa só se posicionará oficialmente sobre o caso quando, e se, o inquérito se tornar um processo.

A reportagem também fez contato com assessoria da Prefeitura de Boa Vista, mas não teve retorno até a publicação desta matéria. Na quinta, quando a operação ainda estava em curso, o município disse por nota que a ação da PF não teve nenhuma relação com a administração municipal.

Operação Aneis de Giges

A Polícia Federal fez na quinta a operação batizada de Anel de Giges, que tinha como alvos filhos e ex-enteadas do líder do governo no Senado e presidente nacional do PMDB, Romero Jucá.

Os dois filhos de Jucá e duas ex-enteadas foram indiciados por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Ao todo, a operação teve 17 mandados judiciais emitidos: nove de busca e apreensão e oito de condução coercitiva (quando o suspeito é levado para depor). A PF foi a endereços em Boa Vista, Belo Horizonte e Brasília.

Durante o cumprimento de um dos mandados, a PF esteve na fazenda da prefeita onde também moram a filha dela e o genro. Foi nesse local que Frederico Capute acabou detido em flagrante em posse das armas.

Leia Também