Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

Tempestades

Fortes chuvas afetam
27,6 mil pessoas em SC

Mais de 8,6 mil residências tiveram alguma tipo de estrago

6 JUN 2017Por G117h:15

As fortes chuvas ocorridas em Santa Catarina durante a madrugada desta terça-feira (6) ampliaram o número de pessoas afetadas de 10,1 mil para 27,6 mil, segundo a Defesa Civil. De acordo com as previsões meteorológicas, as chuvas devem prosseguir até quinta-feira (8).

Este número de pessoas afetadas na madrugada foi registrado em Rio do Sul. "Geralmente a Defesa Civil municipal tem uma cota do nível do rio e mostra que em tantos metros vai atingir tanta casas, então orientam aquelas pessoas a saírem de casa", explica Cleiton Ferrasso, assessor da Defesa Civil estadual.

O secretário adjunto da Defesa Civil, Fabiano de Souza, afirma que a situação deve se complicar ainda mais, já que a previsão é de chuva até quinta-feira (8).

“A prioridade, neste momento, é realizar o atendimento das pessoas afetadas. Alertamos que a situação ainda é crítica no estado, mesmo que por certos momentos a chuva diminua. Qualquer precipitação agrava o quadro atual. Pedimos para que a população se mantenha atenta e siga a orientação da Defesa Civil”, diz Souza.

Na manhã desta terça, o governador do estado, Raimundo Colombo, esteve em Blumenau e se reuniu com o prefeito Napoleão Bernardes e com o Grupo de Resposta e Ação Coordenada (Grac).

“As barragens cumpriram um papel importante, tanto na capacidade de contenção, com a sobre-elevação, quanto no esvaziamento nos novos canais. Infelizmente o volume de chuva é muito alto e a barragem de Ituporanga verteu. Estamos conseguindo segurar bem a de Taió, e a de José Boiteux está com a capacidade muito grande de reservatório. Elas estão respondendo bem e cumprindo de forma importante o papel de reter a água e proteger as pessoas nas cidades”, disse Colombo.

Balanço de prejuízos

Conforme o balanço divulgado às 8h desta terça-feira (6), 89 municípios já registraram algum tipo de ocorrência devido à chuva que cai no estado desde o final de maio.

Das mais de 27,6 mil pessoas atingidas de alguma forma pelo evento, 1309 foram para casa de parentes e amigos - são, portanto, considerados desalojados - e outros 2093 foram para abrigos, abertos em dez cidades. Mais de 8,6 mil residências tiveram alguma tipo de estrago.

Rio do Sul

Na manhã desta terça-feira, Rio do Sul, no Vale do Itajaí, era a cidade mais prejudicada e tinha mais de 700 pessoas em 21 abrigos abertos. “O número de desalojados, que são as pessoas que tiveram que ser transferidas para casa de parentes ou amigos, é ainda maior, já que a prioridade das pessoas é buscar auxílio junto aos mais próximos”, afirma o secretário adjunto da Defesa Civil.

Doações podem ser entregues na Sede dos Servidores Municipais de Rio do Sul que fica ao lado da sede da Defesa Civil. O endereço é a rua Mafalda Ligner Port, 333, no bairro Progresso.

 

Leia Também