PERIGO

Fogo atinge mercado de<br> peixes Tsukiji, em Tóquio

Local é o maior mercado público do mundo
03/08/2017 16:47 - Terra


 

Dezenas de bombeiros combateram nesta quinta-feira um grande incêndio no mercado de peixes Tsukiji, em Tóquio, o maior do mundo e uma das maiores atrações turísticas da capital do Japão.

Não houve relatos de imediato sobre feridos ou pessoas presas nos destroços, segundo as reportagens.

O incêndio teve início pouco antes das 5h (horário local) e cerca de 30 caminhões dos bombeiros estavam no local. Nuvens de fumaça acinzentada foram vistas no céu, mas os esforços para extinguir as chamas foram dificultados pelas ruas estreitas e os prédios muito próximos da área.

O fogo irrompeu no mercado "externo" de Tsukiji -- uma área repleta de restaurantes informais onde os turistas podem saborear pratos de frutos do mar frescos e sushi.

Reportagens disseram que o fogo se espalhou por quatro prédios cobrindo cerca de 200 metros quadrados de área.

O mercado "interno" de Tsukiji, onde a maioria dos atacadistas de frutos do mar se localiza e leilões de atum são realizados de madrugada, não foi afetado.

Em junho, a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, anunciou um plano longamente adiado para transferir Tsukij de seu local atual, situado em uma das áreas mais valorizadas da cidade, para uma ilha artificial com solo contaminado.

Tsukiji atrai dezenas de milhares de visitantes por ano às suas barracas repletas de espécies exóticas de peixes, atuns gigantescos e sushi fresco, parte de um boom turístico que é parte essencial do plano econômico do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

Mas Koike disse que a idade e a vulnerabilidade do mercado de 80 anos a um grande terremoto fazem com que ele precise ser reconstruído.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".