terça, 17 de julho de 2018

MUNDO

Exército sírio anuncia reconquista total de Guta Oriental, último reduto rebelde

15 ABR 2018Por G105h:00

O exército sírio anunciou neste sábado (14) que reconquistou integralmente o reduto rebelde em Guta Oriental, perto de Damasco, após a evacuação dos últimos rebeldes da cidade de Duma. A ofensiva do regime sírio contra a região levou quase dois meses.

"Todos os terroristas abandonaram (a cidade de) Duma, o último de seus bastiões em Guta Oriental", anunciou a agência de notícias oficial da síria Sana, citando um porta-voz do exército. O regime de Bashar al-Assad classifica os rebeldes como "terroristas".

"Ao mesmo tempo em que estamos resistindo com nossas capacidades de Defesa contra a agressão tripartite pelos EUA, França e Reino Unido contra diversos alvos na Síria, e depois de numerosas operações militares na semana passada, unidades de nossas forças armadas e seus aliados conseguiram limpar Guta Oriental em todos os seus bairros e vilarejos vizinhas, das organizações terroristas armadas, depois de expulsar todos os terroristas de Duma", diz o comunicado do Exército.

No final de março, a Rússia, principal aliada do regime Sírio, informou que operação para retomar controle de Guta Oriental estava "quase encerrada".

Milhares de combatentes aceitaram acordos mediados pela Rússia para deixar a região com suas famílias. Ônibus foram fornecidos pelo governo e os rebeldes saíram em comboios durante essa semana.

Ofensiva contra Guta

O governo sírio lançou em 18 de fevereiro uma ofensiva com o apoido da Rússia, sua aliada na guerra, para libertar esse enclave rebelde situado perto de Damasco.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), ao menos 1.700 civis morreram nos bombardeios durante esse tempo.

Duma é a cidade mais importante da região de cerca de 400 mil habitantes.

Ataque químico em Duma

Foi lá onde supostamente ocorreu um ataque químico no dia 7 de abril, pelo qual as potências ocidentais acusam o regime de Damasco. Nessa sexta, EUA, França e Reino Unido lançaram um ataque contra instalações da Síria em retaliação ao suposto ataque químico.

Os governos da Síria e da Rússia negam que tenham usado armas químicas e dizem que o ataque foi forjado por rebeldes.

Leia Também