Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ECONOMIA-ESTUDO

Estudo divulgado pela FGV indica leve melhora no clima econômico mundial

15 FEV 15 - 07h:00FOLHAPRESS

No plano mundial, há uma leve melhora no ambiente econômico, em contraste com o clima econômico dos países latino-americanos, que registra piora. É o que mostra o ICE (Índice de Clima Econômico), divulgado nesta quinta (12), pela FGV (Fundação Getulio Vargas). O estudo foi elaborado em parceria com o Instituto Alemão IFO, tendo como fonte de dados a IFO World Economic Survey (WES). As informações são da Agência Brasil.

O estudo conclui que essa "relativa estabilidade" do resultado mundial reflete duas tendências opostas: nos Estados Unidos, após interrupção da trajetória de alta em outubro de 2014, o ICE voltou a crescer, de 121 pontos para 131 pontos, enquanto na União Europeia, o anúncio pelo Banco Central Europeu de uma política monetária expansionista fez com que todos os indicadores melhorassem, levando o ICE a avançar de 104 para 113 pontos.

Em contrapartida, a China, segunda maior economia mundial, registrou queda no ICE puxada pela piora nas expectativas. No Japão e na Índia, o clima econômico apresentou melhora. No entanto, dado o peso da China no Continente Asiático, o clima econômico não mudou na região entre as sondagens de outubro de 2014 e janeiro de 2015. Entre os países do Brics, a Rússia apresenta o pior ICE.

O estudo recomenda, no entanto, que os resultados desta edição da pesquisa "devem ser tomados com cautela" na medida em que, na sondagem anterior, a piora do clima econômico mundial puxado pelas expectativas sugeria piora do cenário mundial.

Na avaliação do indicador IFO/FGV, "uma recuperação mais consistente da economia mundial dependerá do resultado da Europa e da evolução da economia chinesa". Os dados mostram que os Estados Unidos, em situação mais confortável, são uma exceção neste cenário de incertezas.

A Sondagem Econômica da América Latina, com foco regional, serve ao monitoramento e antecipação de tendências econômicas, com base em informações prestadas trimestralmente por especialistas nas economias de seus respectivos países. A pesquisa é aplicada com a mesma metodologia ­simultaneamente­ em todos os países da região, método que, segundo os responsáveis, "permite a construção de um ágil e abrangente retrato da situação econômica de países e blocos econômicos".

Em janeiro de 2015, foram consultados 1.071 especialistas econômicos em 117 países, dos quais 133 da América Latina. A pesquisa gera informações tanto de natureza qualitativa quanto quantitativa. O ICE (Índice de Clima Econômico) é o indicador-síntese, composto por dois quesitos de natureza qualitativa, o ISA (Índice da Situação Atual) e o IE (Índice de Expectativas), que tratam, respectivamente, da situação econômica geral do país no momento e nos próximos seis meses.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

AGUARDARÁ PEC

Alcolumbre diz que plenário não vai votar projeto da 2ª instância aprovado na CCJ

STJ manda soltar Pezão, ex-governador do Rio preso há um ano
USARÁ TORNOZELEIRA

STJ manda soltar Pezão, ex-governador do Rio preso há um ano

BRASÍLIA

'Paciência', diz Bolsonaro sobre Brasil poder perder voto na ONU por dívida

Com presença de Mourão, Alberto Fernández assume presidência da Argentina
MUNDO

Com presença de Mourão, Alberto Fernández assume presidência da Argentina

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião