Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 25 de setembro de 2018

ELEIÇÕES 2018

Em MS, PT mobiliza caravana para acampamento em Curitiba

Militantes vão somar com os acampados em frente à PF

15 ABR 2018Por RENATA VOLPE E RENAN NUCCI13h:35

O PT em Mato Grosso do Sul reuniu lideranças no último sábado (14), para organizar caravana que deve se unir ao acampamento montado em frente a sede da Polícia Federal (pf), em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, está preso desde o último dia 7.

Segundo o pré-candidato ao governo do Estado, Humberto Amaducci, em Mato Grosso do Sul, assim como em todo o restante do País, o partido organiza as lideranças para reforçar o acampamento montado em Curitiba. “Estamos mobilizando a companheirada para estar presente em Curitiba, levando as nossas caravanas, organizando nosso povo para aquele grande acampamento que foi feito e vamos levar a militância para lá”, destaca.

Amaducci informa ainda que a mobilização deve levar militantes de Mato Grosso do Sul em três ônibus. “A mobilização é grande em todo canto do país. Quem não pode ir para Curitiba, está se mobilizando por conta própria em bairros de Campo Grande em defesa do Lula e pelo direito dele disputar a eleição 2018”, explica. 

O deputado estadual, Pedro Kemp, disse que a prisão do ex-presidente foi uma maneira de retirá-lo da campanha eleitoral. “Ele é o candidato com maior índice de intenção de votos, estava ficando claro para a direita isso e para acelerar o processo, votaram com rapidez o processo, para que ele pudesse ser condenado em 2º instância e preso logo em seguida”, defende.

Kemp alega que o PT quer mostrar para a sociedade a injustiça cometida com o ex-presidente. “Queremos  resgatar o legado de Lula, o que ele fez pelo País nos oito anos de mandato. Vamos ressaltar a distribuição de renda, a qualidade de vida que melhorou da população mais pobre, os investimentos na educação, acesso às universidades. Vamos fazer a defesa desse legado e nosso candidato a governo do Estado vai defender nosso programa para as próximas eleições”. 

Para o deputado Amarildo Cruz, a prisão de Lula é o resultado de uma perseguição política implacável, sem prova nenhuma. “Aconteceu o que denunciávamos há anos. O que aconteceu foi exclusivamente para o PT, o que serve para o nosso partido, não serve para nenhum outro, muito menos para o PSDB, mas acho que isso tá clareando na cabeça do eleitorado”, diz. 

Quem também esteve presente na reunião, foi o deputado Cabo Almi. Ele informa que o partido vai continuar se mobilizando para soltar o ex-presidente. “Vamos continuar a luta até Lula ser solto. Ele é nosso candidato à Presidência da República”. Almi citou as intenções de voto para presidente. “Em breve deve sair uma pesquisa eleitoral que com certeza aponta o crescimento Lula como favorito para presidente, mesmo ele estando preso. Isso vai fortalecer nosso partido nas eleições. Acho que o PT precisa renovar quadros, repensar estratégicas, mas intensificar essa luta que começamos há muitos anos. PT vai chegar forte nas eleições”, informa. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também