Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

BRASIL

Deputado aciona STF contra MP que dispensa publicação de editais em jornais

10 SET 19 - 23h:00ESTADÃO CONTEÚDO

O deputado Elias Vaz (PSB-GO) acionou o Supremo Tribunal Federal nesta terça-feira para suspender os efeitos da Medida Provisória 896/19 que revogou a obrigatoriedade de publicação de atos de licitações, concursos e leilões públicos em jornais. A MP foi editada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira

O deputado apresentou um mandado de segurança à Corte. Ele alegou que o assunto deveria ser discutido por meio de um projeto de lei e não por uma medida provisória, que só deve ser editada em caso de urgência ou relevância.

Em agosto, o presidente já havia insinuado que sua intenção era acabar com a publicação de editais de órgãos públicos em jornais Na época, ele também desobrigou as empresas de publicarem seus balanços em jornais de grande circulação no País.

As medidas, segundo ele, eram uma resposta ao tratamento que recebeu da imprensa durante a campanha eleitoral. Para Vaz, o argumento do presidente configura desvio de finalidade na edição das medidas.

A MP encaminhada ao Congresso restringe a divulgação sobre licitações públicas ao Diário Oficial e sites mantidos por órgãos da administração federal, estadual e municipal.

Vaz argumenta ainda que a MP afeta a transparência dos atos públicos. "Quanto mais veículos de grande porte divulgam as informações, mais os agentes públicos e os cidadãos têm condições de fiscalizar a aplicação do dinheiro público", disse o deputado por meio de nota.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

OPERAÇÃO VERDE BRASIL

Multas na Amazônia somam R$ 36 milhões

EM OFÍCIO

MEC pede ensino com diversidade de teorias e versões

EDUCAÇÃO

Enem abre inscrições para presos

BRASIL

Morte de menina no Rio cria embate sobre pacote anticrime

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião