ÍNDICE DE CONFIANÇA

Confiança da indústria apresenta <br>leve alta em julho

O resultado foi influenciado pela melhora das percepções dos empresários tanto da situação atual como das expectativas para o setor.
28/07/2017 09:44 - Terra


O nível de confiança da indústria brasileira cresceu 1,3 ponto em julho e alcançou 90,8 pontos, de acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas. O resultado foi influenciado pela melhora das percepções dos empresários tanto da situação atual como das expectativas para o setor. 

Em junho havia sido registrada queda de 2,8 pontos. Contudo, a alta em julho ainda não indica uma avanço consistente do setor, disse a FGV.

"A alta da confiança industrial no mês (de julho) atenua a queda de junho mas é insuficiente para sinalizar uma retomada da tendência ascendente observada entre janeiro e maio deste ano", afirmou a coordenadora da Sondagem da Indústria da FGV/IBRE, Tabi Thuler Santos, por meio de nota.

O Índice da Situação Atual (ISA) da confiança da indústria teve alta de 1,4 ponto, para 88,4 pontos, influenciado pela melhora nas condições de negócios. Segundo o levantamento, em julho, a parcela de empresas que avalia a situação como boa avançou para 12,3 por cento, de 9,4 por cento em junho.

O Índice de Expectativas (IE) subiu 1,3 ponto, para 93,4 pontos, com a perspectiva de que o número de pessoal ocupado nos três meses seguintes vai aumentar. A pesquisa mostrou que 16 por cento das companhias estimam aumento no quadro de funcionários, acima dos 9,3 por cento apurados no mês passado.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada avançou 0,5 ponto percentual e foi a 74,7 por cento, recuperando a queda de 0,5 ponto percentual no mês passado.

"O grau de ociosidade retornou ao nível de maio e o setor não sinaliza aquecimento da produção nos próximos meses", disse Tabi.

A leitura final do ICI foi ligeiramente melhor do que a prévia, que apontava alta de 1,2 ponto.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".