Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

IMIGRAÇÃO

Canadá anuncia asilo a jovem saudita que fugiu da família

Canadá anuncia asilo a jovem saudita que fugiu da família
11/01/2019 20:00 - FOLHAPRESS


O Canadá está "encantado" de receber e dar asilo a uma adolescente da Arábia Saudita que fugiu da família, afirmou nesta sexta-feira (11) o premiê canadense, Justin Trudeau.

Na noite desta sexta, Rafah Mohammed al Qunun, 18, embarcou em um voo da companhia aérea Korean Air de Bancoc, na Tailândia, para Seul, na Coreia do Sul, onde tomaria um voo a Toronto, no Canadá, segundo a chefe da imigração tailandesa, Surachate Hapkarn.

"Concedemos asilo a ela. Estamos encantados por fazê-lo porque o Canadá é um país que leva em conta até que ponto é importante defender os direitos do indivíduo e das mulheres no mundo todo", afirmou Trudeau.

Al Qunun havia fugido da família no Kuwait, no último sábado, em direção à Tailândia. Depois de ter a entrada negada no país, ela deu início a uma campanha nas redes sociais para evitar ser deportada.

Segundo Al Qunun, ela temia ser morta pelos parentes se voltasse. O impasse no aeroporto durou 48 horas.

O destino original de Al Qunun era a Austrália, onde ela esperava se juntar a outras mulheres que fugiram da Arábia Saudita.

De acordo com o The New York Times, autoridades tanto do Canadá quanto da Austrália entrevistaram al Qunun como parte do processo de repatriamento. Segundo Surachate, citado pelo jornal, a jovem preferiu o Canadá.

As relações entre o Canadá e a Arábia Saudita pioraram nos últimos meses depois que Ottawa pressionou o reino saudita pela libertação de ativistas de direitos humanos. A Arábia Saudita retaliou expulsando o embaixador canadense e cortando negócios bilaterais.

 

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!