CRISE

Bolsa de Xangai volta a fechar em baixa mesmo depois de China cortar juros

Bolsa de Xangai volta a fechar em baixa mesmo depois de China cortar juros
26/08/2015 07:32 - FOLHAPRESS


A Bolsa de Xangai encerrou a sessão desta quarta-feira (26) em queda de 1,27%, apesar do corte das taxas de juros na China, que não foi suficiente para dissipar a inquietação dos investidores e inverter a tendência de baixa.

O índice principal perdeu 37,68 pontos, a 2.927,29 unidades. Na segunda-feira (24) a queda foi de 8,5% e na terça-feira (25), 7,63%.

A praça registrou muita volatilidade durante a sessão: no início chegou a perder 3,05% e durante o dia chegou a operar em alta de 4%, antes de retornar para o resultado negativo.

O Banco Central da China anunciou na terça-feira um corte nas taxas de juros de referência e reduziu o nível das reservas obrigatórias para os bancos, mas as medidas não foram suficientes para convencer o mercado.

No Japão, a Bolsa de Tóquio se recuperou e encerrou a sessão desta quarta em forte alta de 3,20%. O índice Nikkei ganhou 570,13 pontos, a 18.376,83 unidades. Nas seis sessões anteriores, a Bolsa japonesa registrou queda acumulada de 13%.

Na Europa, as principais Bolsas do continente abriram em queda. No início dos pregões, Londres registrava perda de 1,38%, Paris, 1,60%, Frankfurt, 1,57%, Milão, 1,91%, e Madri, 1,21%.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".