Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

INCLUSÃO

Boa Vista vai incluir espanhol nas
escolas e contratar venezuelanos

2 AGO 2017Por G114h:24

A prefeita de Boa Vista Teresa Surita (PMDB) usou a conta pessoal do Twitter para anunciar que irá incluir o ensino de espanhol nas escolas municipais e que vai contratar professores venezuelanos que estão desempregados na capital.

Já nesta quarta (2) no Facebook, a prefeita deu mais detalhes sobre o assunto. Ela afirmou que o ensino de espanhol será incluído em todas as escolas de ensino fundamental do município e completou que também contratará assistentes de alunos venezuelanos.

"Desta forma, os alunos brasileiros terão a oportunidade de aprender um novo idioma e os professores venezuelanos que estiverem em situação regular no Brasil poderão trabalhar e recomeçar suas vidas. Eles serão contratados por meio de processo seletivo, que será aberto muito em breve", publicou em página oficial no Facebook.

Em contato com o G1, a assessoria de comunicação da prefeitura informou que outros detalhes sobre o anúncio serão divulgados ainda nesta quarta.

Desde 2016, Roraima recebe cada vez mais imigrantes do país fronteiriço ao estado. Em seis meses, quase seis mil venezuelanos foram à Polícia Federal pedir refúgio.

Com esse aumento, centenas de crianças venezuelanas passaram a estudar nas escolas municipais de Boa Vista, que ofertam ensino infantil e fundamental.

No início do ano letivo de 2017 a prefeitura informou que 408 alunos venezuelanos estavam matriculados em 53 escolas municipais.

Professores, diretores, coordenadores e alunos brasileiros tiveram que mudar a rotina para se adaptar aos imigrantes. Os cardápios das escolas foram traduzidos e professores que só falam português tiveram que se adaptar com o 'portunhol'.

Imigração para Roraima e desemprego

O agravamento da crise na Venezuela fez aumentar o número de venezuelanos vivendo em Roraima, onde há famílias inteiras até em praças públicas.

Dados da Polícia Federal mostram que, desde 2014, tem havido um aumento constante nos pedidos de refúgio por parte de venezuelanos que querem morar no estado.

Só nos primeiros seis meses deste ano, a Polícia Federal em Roraima já recebeu 5.787 pedidos de refúgio, cerca de 3,5 mil a mais do que em todo o ano passado.

Com a intensa imigração, milhares de venezuelanos buscam emprego no estado. Só neste ano, foram emitidas quase 3 mil carteiras de trabalho a venezuelanos. Muitos não conseguem trabalho formal e vão para semáforos em busca de trabalho.

Um abrigo sediado na periferia da capital foi disponibilizado pelo governo e oferta moradia temporária aos imigrantes. No local, onde há índios e não índios venezuelanos, os alimentos são doados e as instalações improvisadas.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também