BELO HORIZONTE

Advogado é preso após entregar banana para funcionária de empresa aérea

O passageiro suspeito de crime de racismo foi retirado do voo
04/08/2017 13:48 - FolhaPress


Um advogado foi preso por suspeita de crime de racismo contra uma atendente de companhia aérea, na manhã desta sexta-feira (4), no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, localizado em Confins, na Grande BH, de acordo com a Polícia Federal (PF). A polícia afirma que, após um desentendimento no check-in, ele tirou da bolsa uma banana e entregou para a funcionária, que é negra.

O caso ocorreu por volta das 7h20. O advogado chegou a embarcar, mas, após o comandante ter sido informado do fato, pediu a retirada do passageiro, que foi preso em flagrante, segundo a PF. O voo da Azul Linhas Aéreas seguiu para Corumbá, em Mato Grosso do Sul.

O advogado foi conduzido à Superintendência da PF em Belo Horizonte, na Região Oeste. O nome dele não foi informado pela corporação. A atendente e testemunhas também seguiram para a delegacia para serem ouvidas.

A companhia área informou que está prestando assistência à funcionária e que não vai comentar o caso para não atrapalhar o inquérito policial.

A BH Airport, concessionária que administra o aeroporto, disse que apenas a companhia aérea se manifestaria sobre o caso.


 


 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".