Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ARTIGO

Antonio Carlos Siufi Hindo: "

Promotor de Justiça aposentado
03/04/2020 02:00 - Da Redação


A Covid-19 sem disparar nenhuma arma de guerra convencional deu seu toque de recolher. A humanidade assustada entendeu o seu indicativo.  Os governantes que tiveram bom senso de interpretar o seu perigo devastador atenderam a recomendação. Os que a desprezaram estão colhendo o fruto amargo de ter que sepultar seus compatriotas. Algo muito triste de ser protagonizado. Não podemos brincar com essa doença devastadora, diz a Ciência.  

O seu indicativo de destruição, pavor, dor e morte resulta em algo palpável e concreto. Está ao nosso lado. Nesse contexto não podemos desprezar as recomendações das nossas autoridades de saúde. Dentro e fora do nosso País. Elas não são as nossas inimigas. São nossas aliadas fiéis e silenciosas. Todos os dias médicos, enfermeiras e outras tantas instituições da área de saúde buscam no silencio dos seus ofícios o bem estar de todos. São os verdadeiros heróis que estão no front dessa  batalha infernal. A vacina ou o fármaco  que aniquila esse vírus, uma vez descoberta,  não pode atender apenas uma parte da humanidade. Alcançará certamente toda a humanidade, independentemente da cor, sexo, raça, credo religioso ou convicção política. Aqui, está a grandeza do ser humano. Por isso não podemos ignorar as recomendações desses profissionais.    

Elas são preciosas. Salvam vidas.  A vida não tem preço. É a maior e mais preciosa bênção que recebemos do nosso Criador. Precisamos  respeitá-la em todo o transcurso da nossa existência, fecundando-a todos os dias com as nossas ações voltadas para o altruísmo e a solidariedade. Essas práticas aproximam-nos de Deus. Esse é o seu efeito, nobre, precioso e  conciliador que precisamos legar para os nossos vindouros.  O nosso País à toda evidencia  está inserido nessa  guerra tormentosa.  Essa é uma verdade absoluta. O presidente da República é o chefe supremo das Forças Armadas consoante consagra com todas as suas letras a nossa Carta Constitucional. Mas não é só.  O presidente  é muito mais do que a letra fria da Lei.   É o condutor, o conselheiro, orientador e o grande general a nos apontar o caminho seguro para essa grande travessia. Nesse contexto sua responsabilidade é enorme.  

O presidente tem tudo às suas mãos para alcançar esse intento nobre e elevado.  Montou um corpo de ministros de notável capacidade técnica. Sem interferência política ou partidária. Eles formam o seu estado maior. O presidente tem o dever de ouvir atentamente  o que falam. Todo o trabalho que produzem está direcionado para maior segurança das ações do governo. Sobretudo para transmitir a paz no meio social. Marchar na direção oposta àquela indicada pelo seu estado maior, especialmente do seu ministro da Saúde e ainda pelos ditames da Organização Mundial da Saúde é ato de extrema insensibilidade. Lideres no mundo inteiro esposaram suas recomendações. O nosso presidente é um grande brasileiro. Um patriota de primeira linha. Seu governo é limpo. As dos seus ministros elevadas. Não existem mais as roubalheiras e a corrupção escancarada.  Votei no presidente. Não tenho motivo nenhum para dizer que estou arrependido. Não tenho esse direito. O seu ministério aqui chamado de estado maior representa sua grandeza. Muitos lideres mundiais reconheceram o erro que cometeram ao desatenderem as recomendações das autoridades da saúde, e recuaram. Errar, é humano.  

O pedido de desculpas é a forma nobre do governante se curvar aos seus governados. O ministro de estado de saúde marchou nessa direção. Formalizou seu pedido de desculpas para a imprensa. Um orgulho para o nosso Estado. O presidente não irá marchar na contramão dos ditames da Ciência. O povo brasileiro está acima de tudo. O dinheiro não tem nenhuma serventia se perdermos a saúde. Se perdermos a vida, aí que ele não vale nada de verdade.    

Felpuda


A tal estratégia de jogar informações nas redes sociais com objetivo de prejudicar adversários está começando a gerar reações. Uma dessas figurinhas vai ter de explicar, na Justiça, o por quê de postagem trazendo suspeitas pesadas contra cabeça coroada, que não gostou nadica de nada de ver o seu nome sendo usado como “bucha de canhão” para fins eleitoreiros. Vem chumbo grosso por aí! E sai debaixo!...